Autismo: Modos pedagógicos de alfabetização e letramento

Zizi Trevizan, Gisele Silva Araújo

Resumo


Esta pesquisa qualitativa envolve Análise Documental de Coleções Didáticas destinadas à alfabetização de alunos com Transtornos do Espectro Autista, produzidas nos anos de 2015 a 2018, período posterior à determinação de Lei de obrigatoriedade de inclusão dos autistas no Sistema Regular de Ensino, em todos os níveis escolares (BRASIL, 2012; 2014). As questões problematizadoras que geraram a Análise Documental foram: Qual o aporte epistemológico utilizado, nestas Coleções, para norteamento dos processos de alfabetização? Ele estaria vinculado à lógica formal da Pedagogia Tradicional? Ou centrado na lógica dialética da Pedagogia Histórico-Cultural e da Pedagogia Histórico-Crítica? Os resultados confirmaram a hipótese inicial do uso único da lógica formal da Pedagogia Tradicional e possibilitaram o alcance do objetivo final da proposição de revisões epistemológicas destas Coleções, para uma formação reflexiva dos autistas, a partir de suas relações intra e inter pessoais, valorizadas pela Psicologia do Desenvolvimento Cultural e pela Filosofia Materialista da Linguagem.


Palavras-chave


autismo e alfabetização; pedagogia tradicional; pedagogia histórico-cultural; pedagogia histórico-crítica

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Tradução Maria Inês Corrêa Nascimento et al. Revisão Técnica Aristides Volpato Cardioli et al. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. (Volochinov). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 16. ed. Tradução Michel Lachud e Yara Frateschi e colaboração de Lúcia Texeira Wisnik e Carlos Henrique D. Chagas Cruz. São Paulo: Hicitec, 2014.

BRASIL. Lei Federal n. 12.764 de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional da Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 30 do art. da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2012. Disponível em: https://bit.ly/3zwQ59V. Acesso em: 17 jun. 2015.

BRASIL. Decreto n. 8.368, de 12 de dezembro de 2014. Regulamenta Lei n. 12.764, de 27 de dezembro de 2012, que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3ETpJD4. Acesso em: 17 jun. 2015.

CHIOTE, Fernanda de Araújo Binatti. Inclusão da criança com autismo na educação infantil: trabalhando a mediação pedagógica. 2. ed. Rio de Janeiro: Walk, 2015.

CUNHA, Maria Isabel da. Inovações pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. Cadernos de Pedagogia Universitária – 6. Universidade de São Paulo, p. 05-38, jun. 2008. Disponível em: https://bit.ly/39JFcHz. Acesso em: 16 set. 2021.

ESTEBAN, Maria Paz Sandín. Pesquisa qualitativa em educação – fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

GAMBOA, Silvio Ancisar Sánchez. Pesquisa qualitativa: superando tecnicismos e falsos dualismos. Revista Contrapontos, v. 3, n. 3, p. 393-405, set./dez. 2003. Disponível em: https://bit.ly/3u3kKKQ. Acesso em: 16 set. 2021.

LAVOURA, Tiago Nicola; MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão. A pedagogia histórico-crítica e a defesa da transmissão do saber elaborado: apontamentos acerca do método pedagógico. Perspectiva, USFC, v. 33 n. 1, 345-376, jan./abr. 2015. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v33n1p345. Disponível em: https://bit.ly/39r41I2. Acesso em: 16 set. 2021.

LÖHR, Thaise. Intervenção precoce em crianças com autismo: modelos Denver para a promoção da linguagem, da aprendizagem e da socialização. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 59, p. 293-297, jan./mar. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.44618. Disponível em: https://bit.ly/39r4dXM. Acesso em: 17 set. 2021.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1987. (Temas Básicos de Educação e Ensino).

ORRÚ, Silvia Ester. Autismo, linguagem e educação: interação social no cotidiano escolar. 3. ed. Rio de Janeiro: Walk, 2012.

ORRÚ, Silvia Ester. Aprendizes com autismo – aprendizagem por eixos de interesses em espaços não excludentes. Prefácio de Maria Tereza Eglér Mantoan. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2016.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Autores Associados, 1997.

SAVIANI, Dermeval. Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios de uma sociedade de classes. In.: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval (Orgs). Marxismo e educação: debates contemporâneos. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008, p. 223-274.

SAVIANI, Dermeval. O conceito dialético de mediação na pedagogia histórico-crítica em intermediação com a psicologia histórico-cultural. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, v. 7, n. 1, p. 26–43, 2015. DOI: https://doi.org/10.9771/gmed.v7i1.12463. Disponível em: https://bit.ly/2XJ93xp. Acesso em: 17 set. 2021.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

TREVIZAN, Zizi; SAMPAIO, Desireé Lorane Negrão. Docência e pesquisa na educação básica: a importância da análise documental de livros didáticos. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 49, p. 49, p. 60-45, set./dez., 2014. DOI: https://doi.org/10.15210/caduc.v0i49.5584. Disponível em: https://bit.ly/3CB1gQS. Acesso em: 16 set. 2021.

TREVIZAN, Zizi. Saberes científicos e epistemologia da prática nos processos institucionais de formação docente e de formação de leitores. Perspectiva, USFC, v. 35 n. 1, p. 237-267, jan./mar., 2017. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2017v35n1p237. Disponível em: https://bit.ly/3u5eker. Acesso em: 16 set. 2021.

TREVIZAN, Zizi. PESSOA, Alex Sandro Gomes. Psiquismo, linguagem e autismo: contribuições da semiótica nos contextos educativos. Educar em Revista, Curitiba, v. 34, n. 71, p. 241-258, set./out. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.59074. Disponível em: https://bit.ly/3lPpmk5. Acesso em: 16 set. 2021.

TREVIZAN, Zizi. Contribuições da semiótica no desafio da construção de relações sociais não excludentes nos processos interlocutivos de autistas. In.: GEBRAN, Raimunda Abou; DIAS, Carmen Lúcia (Orgs.). Práticas educativas e inovação. 1. ed. Curitiba: Appris, 2019, p. 191-214.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich. Pensamento e linguagem. Tradução Jefferson Luis Camargo. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução José Aipolla Neto; Luiz Silveira Menna Barreto; Solange Castro Afeche. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.20989

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional