Estado da arte sobre formação colaborativa de professores no programa ler e escrever

Patricia Aparecida Bioto

Resumo


Investiga-se nesse texto indícios bibliográficos que trazem a lume o caráter colaborativo da formação de professores do Programa Ler e Escrever da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo. O levantamento foi feito nos sites de periódicos da área da educação: Caderno Cedes, Cadernos de Pesquisa, Educação e Pesquisa, Educação e Sociedade, Revista Brasileira de Educação e Estudos Pedagógicos. Foi feita busca também por dissertações e teses nos sites do IBICT e da CAPES. O descritor usado foi Programa Ler e Escrever e o critério foi procurar trabalhos que falassem da formação de professores no Programa. O período para busca compreendeu os anos de 2008 a 2018. Os dados localizados foram analisados e comentados a luz de autores nacionais e internacionais que tratam da formação docente e de políticas públicas de educação. Pode-se afirmar com base nas evidencias que tal formação de professores pode ser caracterizada como colaborativa.


Palavras-chave


Formação colaborativa de professores; Programa Ler e Escrever; Estado da Arte.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALLA, Maria de Fatima Barbosa; TAVARES, Luana Serra Elias. Do controle estatal às formas de responsabilização: a autonomia do professor coordenador. Educação e sociedade. Campinas. vol 32, nº 125, 2013, p. 1287-1303.

ALMEIDA, Camila dos Santos. O processo formativo do Programa Ler e Escrever: uma análise da rede de formações proposta pelo Estado de São Paulo. Pontifícia Universidade Católica de Campinas. 2014. (dissertação de mestrado).

BALL, Stephen; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annete. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Tradução de Janete Bridon. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016.

BIOTO-CAVALCANTI, Patrícia Ap. Entre pares: aprendendo a aprender, a ensinar, a pesquisa, a escrever e a ser. In: In: PRADO, Gilvonete Schmitz, BIOTO-CAVALCANTI, PATRÍCIA Ap. A plena luz: fazeres e saberes de professoras que se dispuseram a escrever histórias... São Paulo: BT Acadêmica, 2017.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. 20ª ed. Trad. Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 2013.

FACCO, Marília Alves. Atividade docente em uma escola pública paulista de ensino fundamental I: análise da apropriação e do emprego das propostas do Programa Ler e Escrever em sala de aula. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2013. (Tese de doutorado).

FEBRONIO, Ilza. Um pouco de história, um pouco de chão. In: PRADO, Gilvonete Schmitz,

BIOTO-CAVALCANTI, PATRÍCIA Ap. A plena luz: fazeres e saberes de professoras que se dispuseram a escrever histórias... São Paulo: BT Acadêmica, 2017.

FIGUEIREDO, Angela Maria da Silva. Formação continuada de professores alfabetizadores: como aprende o professor? Universidade Metodista de São Paulo. 2011. (dissertação de mestrado).

FERREIRO, Emilia, TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: ArtMed, 1986.

FULLAN, Michael. HARGREAVES, Andy. Por que é que vale a pena lutar? O trabalho de equipa na escola. Porto: Porto editora, 2001.

GIMENES, Tatiane Affonso. O programa Ler e Escrever na perspectiva dos professores da rede estadual de ensino de São Paulo. Universidade Nove de Julho. 2017. (dissertação de mestrado)

GIOVANNI, Luciana Maria. O ambiente escolar e ações de formação continuada. In: TIBALLI, E.F.A. e CHAVES, S.M. (Orgs.). Concepções e práticas em formação de professores. Rio de Janeiro: D. P. & A, P. 207-224.

LIMA, Jorge Avila. As culturas colaborativas nas escolas: estruturas, processos e conteúdos. Porto: Porto Editora, 2002.

MORICONI, Gabriela Miranda et al. Formação continuada de professores: contribuições da literatura baseada em evidências. São Paulo: FCC, 2017.

NOVOA, Antonio. Profissão Professor. Porto: Editora Porto, 1995.

PRADO, Gilvonete Schimitz. O percurso de constituição de duas professoras de anos iniciais sob a perspectiva da intelectualidade docente: desafios e possibilidades. Universidade Nove de Julho. 2016. (dissertação de mestrado).

PRADO, Gilvonete Schimitz. Seminários de Boas Práticas: um dispositivo de formação. In:

PRADO, Gilvonete Schimitz, BIOTO-CAVALCANTI, PATRÍCIA Ap. A plena luz: fazeres e saberes de professoras que se dispuseram a escrever histórias... São Paulo: BT Acadêmica, 2017a.

PRADO, Vanessa Alves. Ações do programa paulista Ler e Escrever sob os sentidos bakhtinianos de forças centrípetas e centrífugas. Universidade Estadual Paulista. 2017b. (tese de doutorado).

PRUDENCIO, Celia. Prefacio. In: PRADO, Gilvonete Schimitz, BIOTO-CAVALCANTI, Patrícia Ap. A plena luz: fazeres e saberes de professoras que se dispuseram a escrever histórias... São Paulo: BT Acadêmica, 2017.

ROSA, Evelyn Camponucci Cassillo Rosa. Projetos escolares como espaço de formação colaborativa: experiência de uma escola pública da zona leste de São Paulo. São Paulo: UNINOVE, 2016 (dissertação de mestrado).

SÃO PAULO (Estado). Resolução SE - 86, de 19-12-2007. Institui, para o ano de 2008, o Programa “Ler e Escrever”, no Ciclo I das Escolas Estaduais de Ensino Fundamental das Diretorias de Ensino da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da Grande São Paulo. Disponível em:http://siau.edunet.sp.gov.br/ItemLise/arquivos/86_07.HTM?Time=04/03/2015%2014:59:38. Último acesso em 02 de março de 2022.

TARDELLI, Elida. Um zoom no trabalho do professor coordenador de núcleo pedagógico dos anos iniciais. PRADO, Gilvonete Schimitz; BIOTO-CAVALCANTI, Patrícia Ap. A plena luz: fazeres e saberes de professoras que se dispuseram a escrever histórias... São Paulo: BT Acadêmica, 2017.

TAVARES, Luana Serra Elias. Autoria ou reprodução? O cotidiano pedagógico de professores coordenadores no contexto do "Programa Ler e Escrever" - SEE/SP. Universidade Católica de Santos. 2012. (dissertação de mestrado).

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

ZOCCAL, Sirlei Ivo Leite. A relação dos professores alfabetizadores com o saber no contexto do "Programa Ler e escrever”. Universidade Católica de Santos. 2011. (dissertação de mestrado).




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.21761

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional