Competences of production managers in the biomaterial sector: study in a high medical technology multinational company

Camila Valadares Salomão, Reginaldo de Jesus Carvalho Lima, Domingos Antônio Giroletti, Adelaide Maria Coelho Baêta

Abstract


Objective: This article aims to discuss the configuration of the competence approach in a multinational company that manufactures high-tech medical devices. It analyzes the managerial competences related to the production managers.

Method: A descriptive Case Study of the company was carried out. As for data collection, it involved a semi-structured interview and document analysis. The data obtained were submitted to Content Analysis with determination of thematic categories.

Originality/Relevance: The study carried out is justified by the possibility of contributing to the debate, illuminating aspects inherent to the Production area, in an innovative sector.

Results: The research revealed an oxymoron. Although Valvmed is a multinational company that manufactures high-tech medical devices and operates in a dynamic sector, the competence approach is still configured in a traditional way. Although the area is characterized by its mechanistic and technical nature, it was possible to identify the demand for relational and behavioral competences that point out the relevance of the social content of the work.

Social / management contributions: The research contributes to the managers who work in this field, insofar as it stimulates reflections about the complexity inherent to production management and the need for the company to make efforts to improve management competences that enhance human interaction.

Theoretical/methodological contributions: Regarding the competence approach, the need to deepen the understanding of the dynamics adopted in the Production area in a high-tech medical company should be considered.


Keywords


Managerial competencies; Production management; Multinational; Innovation; Biomaterials.

Full Text:

PDF

References


Antonello, C. S. (2011). Contextos do saber. A aprendizagem informal. In: Antonello, C. S. (org). Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman. p. 139-159.

Avelino, G. I. B., Nunes, S. C., & Sarsur, A. M. (2016). Modelo de gestão por competências: a aderência dos gestores para o alcance do desempenho organizacional superior. Economia e Gestão, 16 (44), 24-50. https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2016v16n44p24

Barbosa, A. C. Q. (2007 out-dez). Utopia com os pés no chão? A gestão de competências pela perspectiva social: experiências setoriais no Brasil. Salvador, Revista Organização & Sociedade, 14(43), 57-70.

Barbosa. A. C. Q. (2003). Um Mosaico da Gestão de Competências em Empresas Brasileiras. RAUSP. Revista de Administração. São Paulo, 38 (4), p. 285-297.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. W. G. (1996). A formação do líder. São Paulo: Atlas.

Bitencourt, C. C. (2005). A gestão de competências como alternativa de formação e desenvolvimento nas organizações: uma reflexão crítica baseada na percepção de um grupo de gestores. In. Ruas, R.; Antoniello, C. S.; Boff, L. H. (org.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, p.132-149.

Boyatzis, R. E. (1982). The competent Manager: a model for effective performance. New York: John Wiley.

Carbone, P. P., Brandão, H. P., Leite, J. B. D., & Vilhena, R. M. de P. (2011). Gestão por competência se gestão do conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV.

Caetano, A. G. L. S.; Meireles, G. S. C.; Oliveira, J. F. G. & Leão e Souza, G.W. (1999). Informações de chão de fábrica num ambiente de manufatura integrada. Congresso e Exposição Internacionais da Tecnologia da Mobilidade (SAE Brasil 99), SAE Technical Paper Series.

Ceribeli, H. B., Maciel, G. N., & Guilarducci, C. A. (2017). Gestão por competências no Brasil: um estudo multicascos. Reuna, 22 (4), 20-39. http://dx.doi.org/10.21714/2179-8834/2017v22n4p20-39

Cheetan, G., & Chivers, G. (2005). Professions, competence and informal learning. Cheltenham, UK: Edward Elgar.

Cheetan, G., & Chivers, G. (2000). A new look at competence professional practice. Journal of European Industrial Training. 24(7), 374-383. https://doi.org/10.1108/03090590010349827

Cheetan, G., & Chivers, G. (1998). The reflective (and competences) practioner: A moldel of professional competence which seeks to harmonize the reflective practioner and competence-based approaches. Journal of European Industrial Training, 2(7). 267-276. https://doi.org/10.1108/03090599810230678

Cheetan, G., & Chivers, G. (1996). Towards a holistic model of professional competence. Jornal of European Industrial Training. 20(5). 20-30. https://doi.org/10.1108/03090599610119692

Corrêa, H. L., Gianesi, I.G.N., & Caon, M. (1997). Planejamento, programação e controle de produção: MRPII/ERP. Editora Atlas, São Paulo.

Chouhan, V. S., & Srivastava, S. (2014). Understanding Competencies and Competency Modeling - A Literature Survey. Journal of Business and Management. 16 (1), 14-22. https://doi.org/10.9790/487X-16111422

De Toni, D., Mattia, A, Larentis, F, Silva, M. G. da., & Milan, G. S. (2012 set-dez.). O perfil dos gestores: um estudo exploratório dos modelos mentais e das competências. Revista Eletrônica de Gestão Empresarial - PROPAD/UFPE, Pernambuco, 3 (10), 537-566. https://doi.org/10.51359/1679-1827.2012.21720

Dutra, J. S. (2004). Competências: conceitos e instrumentos para gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Gente

Fleury, M.T.L., & Fleury, A. (2001). Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópico da indústria brasileira. São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S., & D'Amelio, M. (2012). Competências gerenciais desenvolvidas por profissionais de diferentes formações. Organizações & Sociedade, 19(63), 621-639. https://dx.doi.org/10.1590/S1984-92302012000400004

Godoy, A. S., Antonello, C. S., Bido, D. S., & Silva, D. (2009 jul-set.). O desenvolvimento das competências de alunos formandos do curso de Administração: um estudo de modelagem de equações estruturais. Revista de Administração - RAUSP, São Paulo, 44(3), 265-278.

Harari, Y. (2018). 21 lições para o século 21. São Paulo: Companhia das Letras.

Kanet, J. J., & Sridharan, S. V. (1998 sept.). Dynamic manufacturing planning and control. Industry Week, 21.

Le Boterf, G. (2003). Desenvolvendo a competência dos profissionais. Porto Alegre: Artmed.

Leite, I. C. B, V. (2011). O aprendizado da função gerencial por meio da experiência. In: Antonello, C. S.; Godoy, A. S. (Org.). Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, p.201-224.

Lima, R. J. C., Barbosa, A. C. Q., & Cintra, L. P. (2015). Competências e cultura organizacional. In. Barbosa, A. C. Q. (Org) Recursos Humanos: Contemporaneidade, Limites e Possibilidades Teóricas e Aplicadas. Curitiba: CRV.

Lima, R. J. C., Barbosa, A. C. Q., Baeta, A. M. C., & Giroletti, D. A. (2012). Valores e Construção de Competências Coletivas no Complexo Têxtil: Reflexões e Evidências. Revista Gestão & Tecnologia, 12(1), 102-125. https://doi.org/10.20397/2177-6652/2012.v12i1.399

Mintzberg, H. (2010). Managing. Desvendando o dia a dia da gestão. Porto Alegre: Bookman.

Montezano, L., Medeiros, B. N., Isidro-Filho, A., & Petry, I. S. (2019 mai-ago). Panorama da Produção Científica da Gestão por Competências na Administração Pública Brasileira (2008 a 2018). Revista Contabilidade, Gestão e Governança. Brasília, 22 (2), 280-298. http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2019v22n2a8

Morgan, G. (1996). Imagens da organização. São Paulo: Atlas.

Munck, L., Souza, R. B. Castro, A. L. & Zagui, C. (2011). Modelos de gestão de competências versus processo de validação. Um ponto cego?. Revista de Administração, 46,(2), 107-121. http://10.5700/rausp1001

Paiva, K., C., M., & Melo, M. C. O. L. (2008). Competências, gestão de competências e profissões: perspectivas de pesquisas. Revista de Administração Contemporânea, 12(2), 339-368. https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000200004

Paiva, K. C. M. (2007). Gestão de competências e a profissão docente: um estudo em universidades no Estado de Minas Gerais. Tese (Doutorado em Administração). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

Pereira, S. A. (2018). Complexo Econômico Industrial da Saúde: os reflexos jurídicos dos estímulos ao desenvolvimento tecnológico previstos na Lei nº 13.243/2016. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário., Brasília, 7(1):96-110, jan./mar, 2018. http://dx.doi.org/10.17566/ciads.v7i1.436

Pereira, J. A., Carvalho, J. S., & Santos, R. H. dos. (2015, março). O gestor de produção na indústria de confecções: um estudo em uma empresa de médio porte da cidade de Maringá – PR. Revista Produto & Produção, 16, p. 66-80. https://doi.org/10.22456/1983-8026.42177

Pires, Ana Luiza R., Bierhalz, Andréa C. K., & Moraes, Ângela M. (2015). Biomateriais: Tipos, Aplicações e Mercado. Química Nova. Sociedade Brasileira de Química. v. 38, n.7, p. 957-971. http://dx.doi.org/10.5935/0100-4042.20150094

Prahalad, C. K., & Hamel, G. (1990 May-Jun.). The core competence of the corporation. Harvard Business Review, 68(3), 79-91. http://10.1007/3-540-30763-X_14

Quinn, R. E., Faerman, S. R., Thompson, M. P., & McGrath, M. (2003). Competências gerenciais: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: Elsevier.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Ruas. R. L. (2010). Desenvolvimento de competências gerenciais e contribuição da aprendizagem organizacional. In: Fleury, M. T. L.; Oliveira Jr, M. M. (org.). Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Editora Atlas, 2010. p. 242–269.

Sant'Anna, A. S., Moraes, L. F. R., & Kilimnik, Z. M. (2005). Competências individuais, modernidade organizacional e satisfação no trabalho: um estudo de diagnóstico comparativo. RAE electron., 4(1), 1-23. https://doi.org/10.1590/S1676-56482005000100001

Schwab, K. (2016). A Quarta Revolução Industrial. São Paulo: Edipro.

Silva, A. H., & Fossá, M. I. T. (2015 jan-jun). Análise de conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos. Qualit@s Revista Eletrônica, 16 (1). http://dx.doi.org/10.18391/qualitas.v16i1

Silva, P. A., Cavalcante, S. M. A., Macedo, A. C. M., Ribeiro Silva, M. R., & Silva Araújo, P. (2017 novembro). Gestão por Competência: um estudo bibliométrico das publicações na área de Administração entre 2006 e 2016. XX SEMEAD - Seminários em Administração – São Paulo: USP. 2017.

Slack, N., Chambers, S, & Johnston, R. (2009). Administração da Produção e Opercações. São Paulo: Atlas.

Spencer, L., & Spencer, S. (1993). Competence at work: models for superior performance. New York: John Wiley & Sons.

Souza, F. B., & Pires, S. R.I (1999 – ago.). The influence of task interruption on individual decision making: na information overload perspective. Decision Sciences, 30 (2),111-126. https://doi.org/10.1111/j.1540-5915.1999.tb01613.x

Ulrich, D., Allen, J.,Brockbank, W.,Younger, J., & Nyman, M. (2011). A Transformação do RH - Construindo os recursos humanos de fora para dentro. (cap. 4, pp. 113 -136). Porto Alegre: Bookman.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. (4. ed.), Porto Alegre: Bookman.

Zarifian, P. (2001). Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo, Atlas.




DOI: https://doi.org/10.5585/iji.v9i2.18777

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2021 International Journal of Innovation

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Internacional Journal of Innovation

e-ISSN: 2318-9975
journaliji.org

Int. J. Innov ©2021 – All rights reserved.

Is this work licensed with a License
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional