Função Social da Escola: compreensões e multiplicidades

Gilberto Oliari, Fernanda Monteiro Rigue, Raquel Brum Sturza

Resumo


O presente artigo tem como objetivo problematizar as compreensões acerca da função social da escola, apresentada por graduados em cursos de licenciatura de diversas regiões do Brasil. Por meio de formulário online, foram coletadas cinquenta e seis respostas que são analisadas e problematizadas, tendo como base sua análise e categorização. O estudo mobiliza-se por meio de um ensaio com inspirações de Larrosa (2003), conjecturando o percurso de investigação a que se propõem os autores. Emerge do estudo, cinco categorias de análise: cidadania; ensino de conteúdo; mão de obra/formação para o mercado de trabalho; formação humana e integral; sem função social (todas com possíveis compreensões da educação como um direito humano).  As categorias foram atentamente problematizadas, a partir de autores e pesquisadores que nos servem de inspiração para pensar o campo da educação e/ou escolarização. Desta pesquisa, resultam as mais diversas noções de função social da escola no contemporâneo.

Palavras-chave


Função Social; Escolarização; Ensaio.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Entre Passado e Futuro. São Paulo: Perspectiva, 2007.

ARENDT, Hannah. A vida do espírito: o pensar, o querer, o julgar. Tradução César Augusto R. De Almeida; Antônio Abranches; Helena Franco Martins. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

BIESTA, Gert. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

CORRÊA, Guilherme. Educação, comunicação, anarquia: procedências da sociedade de controle no Brasil. São Paulo: Cortez, 2006.

COSTA, Marvim. Google Docs: crie, edite e visualize documentos online. 2015. Disponível em: https://www.techtudo.com.br/tudo-sobre/google-docs-app.html#:~:text=O%20Google%20Docs%20%C3%A9%20um,quanto%20na%20mem%C3%B3ria%20do%20dispositivo Acesso em: 22/03/2020.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação e realidade. Porto Alegre, v. 28, n. 2, jul/dez, 2003, p. 101 – 115. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/viewFile/25643/14981 Acesso em: 23/07/2020.

MALAVOLTA, Ana Paula Parise; RIGUE, Fernanda Monteiro; BIAZUS, Camila Baldicera. Em Defesa de um corpo-potência: notas sobre educação e política. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, v. 6, n.1, pág. 92-118, janeiro-abril, 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/riae/article/view/45318 Acesso em: 23/07/2020.

MARRACH, Sônia Alem. Neoliberalismo e Educação. In: GHIRALDELLI, Paulo (org.). Infância, Educação e Neoliberalismo. São Paulo: Cortez Editora, p. 42-56, 1996.

MASSCHELEIN, Jan.; SIMONS, Maarten. Em defesa da escola: uma questão pública. 2. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2017.

NASCIMENTO, Rogério. Sofisma é imprescindível à democracia ou como mentir apenas dizendo verdades ou ainda “sorria! você está sendo filmado!”. Verve - Revista Semestral Autogestionária do NU-SOL. n. 11, p. 156-167, 2007. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/verve/article/view/5078 , Acesso em: 23/07/2020

RIGUE, Fernanda Monteiro. Uma Genealogia do Ensino de Química no Brasil. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/13153 Acesso em: 23/07/2020.

RIGUE, Fernanda Monteiro; OLIARI, Gilberto; RIBAS, Jéssica Erd; STURZA, Raquel Brum. Vidas em Movimento: Narrativas como estratégia para pensar a escola e trajetórias escolares. In:

OLIARI, Gilberto. Artesania do fazer pedagógico: em defesa do escolar. Veranópolis: Diálogo Freiriano, 2020.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.n35.16907

Direitos autorais 2020 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.