Educação ambiental uma proposta emancipatória na educação física escolar

Reard Michel Santos, Ernesto Jacob Keim, Soraya Corrêa Domingues

Resumo


A temática ambiental conquista espaço no contexto educacional como tema transversal. Para contribuir neste debate, o presente artigo tem como objetivo entender a Educação Física a partir da abordagem da Ciência da Motricidade Humana como proposta Emancipatória a favor da Vida. A metodologia é do tipo pesquisa social qualitativa que desenvolveu estudo teórico exploratório sobre a Educação Física e a Educação Ambiental. As análises do estudo apontam como resultados a necessidade de uma leitura questionadora das competências da Base Nacional Comum Curricular, indicando processos educativos emancipatórios ao evidenciar o axioma da transcendência, de ser mais, e da autossuperação. Como conclusão, compreende-se que a Educação Física pode ser um componente curricular de valorização do movimento humano, da construção do corpo e da saúde, e da possibilidade de desenvolver ações em que, a criatividade, a autonomia e o senso de pertencimento, possam ser vivenciados como processos educativos dinâmicos nas práticas corporais.


Palavras-chave


educação física; motricidade humana; educação ambiental; emancipação

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Conselho Nacional de Educação Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução CNE/CP nº 2, de 15 de junho de 2012. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,18 de junho de 2012, Seção 1, p. 70 – 71. Disponível em: rcp002_12 (mec.gov.br). Acesso em: 24 maio 2021.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília-DF, 2018. Disponível em: Início (mec.gov.br). Acesso em: 24 maio 2021.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução por: Magda Lopes – 3. ed. - Porto Alegre: Artmed, 2010.

DOMINGUES, Soraya Corrêa. Formação em Educação Física na Dimensão da Educação Ambiental. Curitiba: CRV, 2021.

DOMINGUES, Soraya Corrêa. A dimensão da educação ambiental na teoria e prática pedagógica da formação de professores em Educação Física. 2011. 319 f. (Doutorado em Educação Física) – Centro de Desporto, Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

KOLYNIAK, Carol Filho. Prefácio. In: FERES NETO, Alfredo (Org.) Motricidade Humana: novos olhares e outras práticas: à luz da transdisciplinaridade e das ciências emergentes. Curitiba: Appris, 2018. p. 19-26.

KEIM, Ernesto Jacob. Educação Ambiental como Educação do Ambiente e da Emancipação da Vida, referenciada nos Princípios Eco-Vitais. Matinhos, jun. 2019a. Disponível em: http://profjacob.com.br/bloco-2/. Acesso em: 20 jun. 2019.

KEIM, Ernesto Jacob. A Fenomenologia Goethiana na Educação e na Pesquisa como agente de Metamorfose. Matinhos, 24 jun. 2019b. Disponível em: http://profjacob.com.br/bloco-3/. Acesso em: 24 jun. 2019.

KEIM, Ernesto Jacob. Pedagogia Freiriana e Goethiana como processo anticolonial. Matinhos, jun. 2018a. Disponível em: http://profjacob.com.br/bloco-4/ Acesso em: 24 jun. 2019.

KEIM, Ernesto Jacob. Princípios Eco-Vitais como referenciais do Bem Viver na educação da Emancipação. Matinhos, 24 fev. 2018b. Disponível em: http://profjacob.com.br/wp-content/uploads/2018/03/O-BEM-VIVER-E-OS-PRINC%C3%8DPIOS-ECO-revisado.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

KEIM, Ernesto Jacob. Ontologia de Steiner e Freire e o Bem Viver como agentes de Libertação por meio da Educação. In: VEIGA, Marcelo da; STOLTZ, Tânia (org.). O Pensamento de Rudolf Steiner no Debate Científico. Campinas: Alínea, 2014. p. 181-211.

KEIM, Ernesto Jacob. Educação da Insurreição: Emancipação humana, ontologia e pedagogia em Georg Lukács e Paulo Freire. Jundiaí, Paco Editorial: 2011.

KUNZ, Elenor. Transformações didático-pedagógica do esporte. 6. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Psicologia e pedagogia da criança. Tradução Ivone C, Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A Natureza. Trad.: Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A estrutura do comportamento (J. Corrêa, Trad.). Belo Horizonte: Interlivros. 1975

NEIRA, M. G. Incoerências e inconsistências da BNCC de Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 40, n. 3, p. 215-223, 2018a. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.rbce.2018.04.001. Acesso em: 24 maio 2021.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Carta de Belgrado: Uma estrutura global para a educação ambiental. 1975. Disponível em: http://www.fzb.rs.gov.br/upload/20130508155641carta_de_belgrado.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

SANTOS, Reard Michel. A Motricidade Humana e Educação da Emancipação da Vida na Educação Física Escolar. 2019. 110f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ciências Ambientais), Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral, Matinhos, 2019. Disponível em: A motricidade humana e educação da Emancipação da vida na educação física escolar (ufpr.br). Acesso em: 27 maio 2021.

SÉRGIO, Manuel. O desporto e a motricidade humana. Caderno de Educação Física, Marechal Cândido Rondon, v.9, n. 16, p. 111-122, jan./jun. 2010. Disponível em: O DESPORTO E A MOTRICIDADE HUMANA | Sérgio | Caderno de Educação Física e Esporte (unioeste.br) Acesso em: 27 maio 2021.

SÉRGIO, Manuel. Motricidade humana e saúde. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v.12, n. 2, p. 129 – 138, jan./jun. 2001. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3783/2589. Acesso em: 27 maio 2021.

SÉRGIO, Manuel. Motricidade humana: um paradigma emergente. Blumenau: Ed da FURB, 1995.




DOI: https://doi.org/10.5585/38.2021.18614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional