Universidade Popular Comunitária: a construção dos conhecimentos por meio das experiências simbólicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/40.2022.19645

Palavras-chave:

universidade popular comunitária, educação de jovens e adultos, simbolismo, fenomenologia

Resumo

A Educação de Jovens (EJA) e Adultos é formada, em sua maioria, por estudantes excluídos(as) do sistema educacional. Estes buscam uma educação que garanta o seu direito de aprender a aprender. A Universidade Popular Comunitária (UPC) surgiu para ser essa outra oferta educacional. Por meio das experiências simbólicas dos(as) estudantes e da comunidade, a UPC buscou construir um projeto inovador para a educação de jovens e adultos(as) da periferia cuiabana. Diante desse cenário, este artigo tem como objetivo abordar sobre algumas dessas experiências, mediante pesquisas bibliográficas, documentos oficiais, rodas de conversa e estudos apresentados na dissertação de mestrado desta autora, desenvolvida no período de 2019 e 2020. Os resultados indicaram que os trabalhos com os relatos de vida dos(as) estudantes contribuíram para melhorar o aprendizado deles, além da elevação da autoestima e criticidade desse público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Loedilza Milicia Da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação

Luiz Augusto Passos, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutor em Educação

Referências

ARROYO, Miguel G. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

ARROYO, Miguel G. Passageiros da noite: do trabalho para a EJA: itinerários pelo direito a uma vida justa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. BORGES, Maristela Correa. O lugar da Vida: Comunidade e Comunidade Tradicional. CAMPO-TERRITÓRIO: Revista de Geografia Agrária. Edição especial do XXI ENGA – 2012, p. 1-23, jun., 2014.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação Popular. São Paulo: Editora Brasiliense, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989. (Coleção polêmica dos nossos tempos 4)

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. (notas Ana Maria Araújo Freire). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessário à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: Cartas Pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

GADOTTI, Moacir. Educação Popular, Educação Social, Educação Comunitária: conceitos e práticas diversas, cimentadas por uma causa comum, p. 10-32. Revista Diálogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional de Pedagogia Social: domínio epistemológico. Brasília, v. 18, n. 1, dez. 2012.

GADOTTI, Moacir. Por uma política nacional de educação popular de jovens e adultos. 1. ed. São Paulo: Moderna; Fundação Santillana, 2014.

HESSEN, Joannes. Teoria do Conhecimento. Tradução: João Vergílio Gallerani Cuter; revisão técnica Sérgio Sérvulo da Cunha. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MALDONADO, Carlos(as) Alberto. UNEMAT: uma universidade para o 3º milênio. Cáceres, MT: Editora Aguapé, 1995. (Coleção Inquieta Ação)

MATTOS, Antônio Marcos Passos de. Universidade Popular Comunitária: É possível uma outra educação? 2007, 181 f. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, 2007.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Signos. Tradução: Maria Ermantina Galvão Gomes Pereira. 1. ed. brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Conversas 1948. Organização e notas de Stéphanie Ménasé; Tradução: Fabio Landa e Eva Landa; Revisão de tradução: Marina Appenzeller. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. Tradução: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O Primado da Percepção e suas consequências filosófica. Tradução: Silvio Rosa Filho e Thiago Martins. 1. ed. reimp. Belo Horizonte, MG: Autêntica editora, 2017.

ROGERS, Carl. Tornar-se Pessoa. 2. ed. Tradução: Manuel Jose do Carmo Ferreira, Livraria Martins Fontes, Lisboa, 1981.

SANTOS(AS), Boaventura de Souza; MENEZES, Maria de Paula. (orgs.). Epistemologia do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS(AS), Boaventura de Souza. Gramática do Tempo: Para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2008.

SILVA, Loedilza Milicia da. Universidade Popular Comunitária: a importância da comunidade na Educação de Jovens e Adultos – 2020, 168 f. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, 2020.

SILVA, Maria de Fátima. Universidade Popular Comunitária (UPC), da solidão à solidariedade: tramas de educação e trabalho.2006. 118 f. (Dissertação) Mestrado em Educação Instituição de Ensino: Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2006.

STRECK. Danilo R. Práticas educativas e movimentos sociais na América Latina. Serie-estudos, Campo Grande, MS, n. 22, p. 99-111, jul./dez. 2006.

TSE, Lao. TAO TE CHING: O Livro do Caminho e da Virtude. Tradução: Mestre Wu Jyn Cherng Sociedade Taoísta do Brasil. Disponível em: http://www.taoismo.org.br. Acesso em: 10 mar. 2020

Dados fornecidos por agências governamentais:

CME. Conselho Municipal de Educação. Resolução nº 003/2002/CBÁ. 2002.

CUIABÁ. Câmara Municipal de Secretaria de Apoio Administrativo. Adesão à carta das Cidades Educadoras. Lei n.° 3.979 de 16 de novembro de 2000.

SME. Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá. Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade Popular Comunitária de Cuiabá. 2003.

Downloads

Publicado

17.02.2022

Como Citar

DA SILVA, Loedilza Milicia; PASSOS, Luiz Augusto. Universidade Popular Comunitária: a construção dos conhecimentos por meio das experiências simbólicas. Dialogia, [S. l.], n. 40, p. e19645, 2022. DOI: 10.5585/40.2022.19645. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/19645. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos