Análise do desempenho acadêmico entre alunos cotistas e não cotistas do IFMG - campus Congonhas e Formiga

Leonardo de Souza Cimino, Everthon Valadão dos Santos, Lílian Amaral de Carvalho

Resumo


A implantação das políticas de cotas nas instituições federais de ensino tornou o ambiente acadêmico mais heterogêneo em relação à situação socioeconômica dos alunos. Diante desse cenário tão diverso, o objetivo deste estudo é analisar se o desempenho acadêmico dos alunos mais vulneráveis econômica e socialmente é inferior aos demais estudantes. Para isso, foi analisado o coeficiente de rendimento de alunos de cursos integrados utilizando estatística descritiva e aprendizado de máquina. Na análise descritiva, os alunos foram separados em cotistas e não cotistas e os resultados demonstraram que o desempenho dessas duas classes é similar. Já a análise por aprendizado de máquina encontrou situações socioeconômicas nas quais os alunos tendem a obter um desempenho inferior aos seus pares. As regras obtidas nessa análise podem justificar um acompanhamento pedagógico mais próximo para alunos que se encaixam nelas, evitando a evasão e melhorando o desempenho desses alunos.


Palavras-chave


cotas; desempenho acadêmico; instituições federais de ensino

Texto completo:

PDF

Referências


AGRAWAL, R.; SRIKANT, R. Fast algorithms for mining association rules in large databases. In: 20th International Conference on Very Large Data Bases. [S.l.]: Morgan Kaufmann, Los Altos, CA, 1994. p. 478–499.

AZEVEDO, C. M. M. de. Cota racial e estado: abolição do racismo ou direitos de raça? Cadernos de pesquisa, SciELO Brasil, v. 34, n. 121, p. 213–239, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742004000100010. Acesso em 10 mar. 2022.

CAMPOS, M. M. S. A expansão da rede federal de educação profissional, técnica e tecnológica no período 2003-2014: uma análise a partir da abordagem das capacitações. Revista Economia e Desenvolvimento, Santa Maria, v. 28, n. 2, p. 497–516, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5902/1414650926166. Acesso em 10 mar. 2022.

CAVALCANTI, I. T. d. N. et al. Desempenho acadêmico e o sistema de cotas no ensino superior: evidência empírica com dados da Universidade Federal da Bahia. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), SciELO Brasil, v. 24, n. 1, p. 305–327, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-407720190001000016. Acesso em 10 mar. 2022.

CHAVES, K. G. O. et al. Permanência e êxito escolar: análise do desempenho acadêmico de estudantes ingressantes no ensino médio integrado do IFRN/Caicó através das cotas étnico-raciais no ano de 2014. Revista Educação e Políticas Em Debate, v. 9, n. 3, p. 672–691, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n3a2020-57880. Acesso em 10 mar. 2022.

COHEN, W. W. Fast effective rule induction. In: Twelfth International Conference on Machine Learning. [S.l.]: Morgan Kaufmann, 1995. p. 115–123. Disponível em: https://doi.org/10.1016/B978-1-55860-377-6.50023-2. Acesso em 10 mar. 2022.

DALLABONA, C. A.; FILHO, M. F. de O. S. Desempenho acadêmico de estudantes oriundos de escolas públicas: cursos de graduação do campus Curitiba da UTFPR. In: Anais do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. Blumenau, SC, Brasil. [S.l.: s.n.], 2011. v. 39.

FRIEDMAN, J.; HASTIE, T.; TIBSHIRANI, R. Additive Logistic Regression: a Statistical View of Boosting. Stanford University, 1998. Disponível em: https://doi.org/10.1214/aos/1016218223. Acesso em 10 mar. 2022.

FRY, P.; MAGGIE, Y. Cotas raciais: construindo um país dividido. Econômica, v. 6, n. 1, p. 153–161, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.22409/economica.6i1.p202. Acesso em 10 mar. 2022.

IENSUE, G. et al. Política de cotas raciais em universidades brasileiras: entre a legitimidade e a eficácia. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, 2009.

JOHN, G. H.; LANGLEY, P. Estimating continuous distributions in bayesian classifiers. In: Eleventh Conference on Uncertainty in Artificial Intelligence. San Mateo: Morgan Kaufmann, 1995. p. 338–345.

LIMA, C. N. de; OLIVEIRA, A. R. de; CRUZ, T. L. B. da. Análise estatística do desempenho de alunos cotistas versus não cotistas: Um estudo sobre o rendimento escolar de estudantes de curso técnico integrado. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, n. 18, p. 7900, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.15628/rbept.2020.7900. Acesso em 10 mar. 2022.

MAXIMO, R. de O.; GANDOLFI, P. E.; LOPES, J. E. F. Cotas universitárias: Estudo do desempenho acadêmico na graduação após a implementação da política de cotas na Universidade Federal de Uberlândia. Revista Educação e Políticas em Debate, v. 9, n. 3, p. 636–654, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n3a2020-57854. Acesso em 10 mar. 2022.

NASCIMENTO, C. J. P. do. Políticas públicas: cotas raciais à luz da constituição brasileira. In: CONGRESSO INTERINSTITUCIONAL UNISC/URCA. [S.l.: s.n.], 2017.

PEIXOTO, A. de L. A. et al. Cotas e desempenho acadêmico na UFBA: um estudo a partir dos coeficientes de rendimento. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), SciELO Brasil, v. 21, n. 2, p. 569–592, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-40772016000200013. Acesso em 10 mar. 2022.

PIERONI, A. R. Um estudo sobre o desempenho de alunos cotistas e não cotistas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Campus Salto. Dissertação (Mestrado) — Universidade Federal de Alfenas, campus Varginha, setembro 2016.

PINTO, J. de C. A. Desempenho acadêmico e fatores socioeconômicos: uma análise no ensino médio integrado do IFBA/Campus Barreiras. Dissertação (Mestrado) — Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, julho 2015.

ROSEN, K. Matemática discreta e suas aplicações. São Paulo: McGraw-Hill, 2009.

SANTOS, C. T. Ações afirmativas no ensino superior: análise do perfil socioeconômico e da experiência universitária de bolsistas do PROUNI na PUC-Rio. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, SciELO Brasil, v. 93, n. 235, p. 770–790, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.93i235.415. Acesso em 10 mar. 2022.

SILVA, B. C. M.; XAVIER, W. S.; COSTA, T. de M. T. da. Sistema de cotas e desempenho: uma comparação entre estudantes cotistas e não cotistas. Administração Pública e Gestão Social, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.21118/apgs.v12i3.6125. Acesso em 10 mar. 2022.

SOUZA, A. C. de; BRANDALISE, M. Â. T. Política de cotas e democratização do ensino superior: a visão dos implementadores. Revista Internacional de Educação Superior, v. 3, n. 3, p. 515–538, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.22348/riesup.v3i3.7763. Acesso em 10 mar. 2022.

TRAGTENBERG, M. H. R. Programa de ações afirmativas da Universidade Federal de Santa Catarina: resultados preliminares. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, Universidade Federal de Santa Catarina, v. 3, n. 1, p. 1–16, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1983-4535.2010v3n1p144. Acesso em 10 mar. 2022.

VELLOSO, J. Cotistas e não-cotistas: rendimento de alunos da Universidade de Brasília. Cadernos de pesquisa, SciELO Brasil, v. 39, n. 137, p. 621–644, 2009. Disponível em: http:// doi.org/10.1590/S0100-15742009000200014. Acesso em 10 mar. 2022.

ZUIN, A. L. A.; BASTOS, E. A justiça social por meio das cotas na Universidade Federal de Rondônia. Educação & Formação, v. 4, n. 12set/dez, p. 104–123, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.25053/redufor.v4i12.945. Acesso em 10 mar. 2022.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.20206

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional