Visitando memórias, descobrindo sentidos – a escuta de egressos do programa curumim do sesc

Silvio Luiz da Costa, Cleusa Vieira da Costa, Tayna Meireles de Morais

Resumo


Este artigo é decorrente de uma pesquisa mais ampla sobre a educação não formal e objetiva refletir sobre as implicações e as contribuições da participação em outros espaços de educação na vida dos sujeitos, inclusive em sua trajetória escolar. A pesquisa foi realizada com egressos do Programa Curumim do Sesc e constituiu-se de uma abordagem qualitativa, de natureza exploratória, assentada teoricamente nos estudos de Gadotti (2005), Gohn (2006) e Bourdieu (2003a, 2003b). As falas dos egressos foram analisadas com base na análise de conteúdos proposta por Bardin (2011), organizando-se em categorias os temas recorrentes, o que permitiu identificar a significância da participação dos sujeitos em espaços de educação não formal e suas repercussões na valorização da vida escolar, na preparação para os desafios e decisões da vida adulta e na inserção na comunidade.


Palavras-chave


educação não formal; programa curumim; formação do sujeito; memórias

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BESTETTI, Maria Luisa Trindade. Ambiência: espaço físico e comportamento. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 601-610, jul./set. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2014.13083. Acesso em: 12 ago. 2021.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In:

NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (org.). Escritos de educação. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2003a. p. 39-64.

BOURDIEU, Pierre. O capital social – notas provisórias. In: NOGUEIRA, Maria Alice;

CATANI, Afrânio (org.). Escritos de educação. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2003b. p. 65-70.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. 17. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

FERNANDES, Renata Sieiro. As marcas do vivido sentido: memórias de jovens ex-frequentadores de um projeto de educação não-formal. 2005. 281 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/252889. Acesso em: 12 ago. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 45. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GADOTTI, Moacir. A questão da educação formal/não-formal. In: Droit à l’éducation: solution à tous les problèmes ou problème sans solution?, 2005, Sião (Suiça). Anais […]. Sião (Suiça): Institut international des droits de l’enfant, 2005. Disponível em: https://aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/305943/mod_resource/content/1/Educacao_Formal_Nao_Formal_2005.pdf. Acesso em: 12 ago. 2021.

GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio – Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, jan./mar. 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-40362006000100003. Acesso em: 12 ago. 2021.

MARANDINO, Martha. Faz sentido ainda propor a separação entre os termos educação formal, não formal e informal? Ciência e Educação, Bauru, v. 23, n. 4, p. 811-816, out./dez. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1516-731320170030001. Acesso em: 12 ago. 2021.

MOURA, Carlos Eduardo de. Sartre e a consciência no processo da construção de si: o “Eu” como valor e projeto. In: Seminário de pós-graduação em filosofia da UFSCAR, VII., 2011, São Carlos. Anais […]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2011. Disponível em: http://www.ufscar.br/~semppgfil/wp-content/uploads/2012/05/carloseduardomoura.pdf. Acesso em: 12 ago. 2021.

NOGUEIRA, Cláudio Marques Martins; NOGUEIRA, Maria Alice. A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: limites e contribuições. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 78, p. 15-36, abr. 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73302002000200003. Acesso em: 12 ago. 2021.

OIENO, Maria Alice; FERREIRA, Henrique Barcelos. Curumim: reflexões coletivas sobre um mesmo programa. In: PARK, Margareth Brandini; FERNANDES, Renata Sieiro (org.). Programa Curumim: memórias, cotidiano e representações. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2015.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992. Disponível em: http://www.pgedf.ufpr.br/memoria%20e%20identidadesocial%20A%20capraro%202.pdf. Acesso em: 12 ago. 2021.

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO – SESC. Programa integrado de desenvolvimento infantil/PIDI. São Paulo: Administração Regional no Estado de São Paulo, 1986. Apostila.




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20626

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional