Percursos formativos na educação: experiências estéticas, memórias e narrativas

Silva Sell Duarte Pillotto, Jaqueline Almeida Camargo, Allan Henrique Gomes

Resumo


O artigo reflete sobre algumas questões referentes a uma pesquisa realizada em um núcleo de pesquisa em arte na educação, vinculado a uma universidade comunitária. O objetivo do referido artigo é compreender a experiência estética como propulsora de sensibilidades nos percursos formativos da educação, imbricadas na ação docente. A questão de pesquisa, surgiu no núcleo, que tem reiterado a relevância da experiência estética como fundamental na constituição humana. Ou seja, é necessário cultivar as sensibilidades ao longo da existência humana. A narrativa foi a abordagem escolhida e possibilitou o revisitamento de fragmentos de nossas experiências nos percursos formativos, por meio da escuta, das memórias, das narrativas e da partilha sensível. As pistas e efeitos nos apontaram como resultado final, que a experiência estética, memorizada ou não, deixa lastros nos percursos formativos, evidenciando o lugar-tempo, habitado em cada um de nós e refletido no outro.


Palavras-chave


experiência estética; narrativas; percursos formativos

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Ricardo Benzaquen. História e Narrativa. In: MATTOS, Ilmar Rohloff (org.). Ler e Escrever Para Contar: Documentação, Historiografia e Formação do Historiador. Rio de Janeiro: Access Editora, 1998. p. 240-258.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. Tradução Antonio de Pádua Danesi. 4. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2018.

BELLOUR, Raymond. Entre-imagem. Tradução Luciana A. Penna. Campinas: Ed. Papirus, 1997.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. [Obras escolhidas, v. 1]. 8. ed. rev. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012.

BOBBIO, Noberto. O Tempo da memória. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

BOSI, Ecléa. O Tempo Vivo da Memória: Ensaios de Psicologia Social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

CLANDININ, Jean D; CONNELLY, Michael F. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. 2. ed. Tradução do Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEL/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2015.

DELIGNY, Fernand. Os vagabundos eficazes, operários, artistas, revolucionários: educadores. Tradução e notas Marlon Miguel. São Paulo: N- Edições, 2018.

DELORY-MOMBERGER, C. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 17, n. 51, set./dez. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/5JPSdp5W75LB3cZW9C3Bk9c/?lang=pt&format=pdf Acesso em: 15 out. 2020.

DEWEY, John. Arte como Experiência. Tradução Vera Ribeiro. São Paulo, Martins, 2010.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. A montanha e o videogame: escritos sobre educação. Campinas: Papirus, 2010.

FRAYZE-PEREIRA, João A. Arte, Dor: inquietudes entre Estética e Psicanálise. 2. ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Tradução de José

Claudino e Júlia Ferreira. São Paulo: Cortez, 2004.

KOHAN, Walter Omar. Infância. Entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Tradução Cristina Antunes e João Wanderley Geraldi. Belo Horizonte, MG. Editora: Autêntica. de Alfredo Veiga-Neto. 5. ed. [Coleção Educação: experiência e sentido]. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, jan-abr. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Ycc5QDzZKcYVspCNspZVDxC/?format=pdf〈=pt Acesso em: 10 jan. 2021.

LOWENTHAL, David. Como conhecemos o passado. Projeto História (17). São Paulo: EDUC, 1981.

MAFFESOLI, Michel. Ecosofia: uma ecologia para nosso tempo. Tradução Fernando Santos. Edições SESC, São Paulo, 2021.

MAFFESOLI, Michel. A Porta do Diabo. Rio de Janeiro: Record, 2004.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Tradução Albert Christophe Migueis Stuckembruck. Petrópolis: Vozes, 1998.

MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. Petrópolis: Editora vozes, 2005.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

MAFFESOLI, Michel. Saturação. Tradução Ana Goldberger. São Paulo: Iluminuras/ Itaú Cultural, 2010.

MALDONATO, Mauro. Passagens do tempo. Tradução Roberta Barni. São Paulo: Edições SESC SP, 2012.

MEIRA, Marly Ribeiro. PILLOTTO, Silvia. Arte, afeto e educação: a sensibilidade na ação pedagogia. Porto Alegre: Mediação, 2010.

MEIRA, Marly. O sentido de aprender pelos sentidos In: PILLOTTO, Silvia Sell Duarte; BOHN, Letícia Ribas Diefenthaelle. Arte/educação: ensinar e aprender no Ensino Básico (Orgs.). Joinville: Editora Univille, 2014. p. 51-62.

NÓVOA, António. Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

NÓVOA António. Firmar a posição como Professor, Afirmar a Profissão Docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/WYkPDBFzMzrvnbsbYjmvCbd/abstract/?lang=pt Acesso em: 20 ago. 2021.

OSTROWER, Fayga. Universos da arte. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus Ltda., 1986.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da Estética. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

PRADO, Guilherme do Val Toledo. Revista Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 4, n. 10, p. 149-165, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/Pillotto/Documents/Downloads/537-769-1-PB%20(1).pdf Acesso em: 30 nov. 2021.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Tradução Mônica Costa Netto. São Paulo: Ed. EXO experimental org./ Editora 34, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. São Paulo: Editora 34, 2012.

RICOEUR, Paul. Ética e Moral. Tradução de António Campelo Amaral. Covilhã: LusosoFia, 2011.

ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. 2. ed. Porto Alegre: Sulina / Ed. da UFRGS, 2016.

SCHILLER, Friedrith. A educação estética do homem. Tradução Roberto Schwarz e Marcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 2017

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem: educar. São Paulo: Autêntica, 2014.

VALÉRY, Paul. Del’historien. In: VALÉRY, Paul. Regards sur lê monde actuel. Ouvertes II. Paris: Bibliothèque de la Plêiade, 1960. p. 920-965.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.21215

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional