Comunicação científica no Brasil: a relevância de Mikhail Bakhtin

Fernando Barcellos Razuck, Renata Cardoso de Sá Ribeiro Razuck

Resumo


A psicologia histórico-social tem grande relevância em diversas áreas do conhecimento, inclusive nos discursos que envolvem a Comunicação Científica. Nesse sentido, este artigo revisou as publicações sobre Comunicação Científica que utilizaram Bakhtin como referencial teórico. Foi feita uma revisão bibliográfica de obras que relacionam Bakhtin ao processo de Comunicação Científica, uma vez que se entende que esse processo está enraizado em ideologias e interesses em seu discurso. Assim, uma revisão de trabalhos publicados no Brasil, que relacionam a questão da Comunicação Científica com a Educação Científica, e que utilizam Bakhtin como referencial teórico, a fim de mostrar a relevância do autor para a área. Os trabalhos serão apresentados, resumidamente, em ordem cronológica (e alfabética dentro do mesmo ano) de publicação. Pode-se dizer que Bakhtin tem grande importância nas discussões para a construção de uma sociedade mais crítica em relação às práticas de Ciência e Tecnologia (C&T).


Palavras-chave


Bakhtin; comunicação científica; educação científica; análise do discurso; Brasil

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALMEIDA, S. A. de. Interações e práticas de letramento mediadas pela revista Ciência Hoje das Crianças em sala de aula. (Doutorado em Educação) Universidade de São Paulo, São Paulo – pesquisa já identificada para Bakhtin e Comunicação, 2011.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 4ª. ed. Trad. MichelLahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 1988.

BUENO, W.C. Jornalismo Científico: revisitando o conceito. In: Victor, c.; Caldas, g.; Bortoliero, S. Jornalismo Científico e Desenvolvimento Sustentável. São Paulo, All Print, p. 157-178, 2009.

CAVALCANTE FILHO, U. Como funciona o discurso do gênero divulgação científica? In: XIV Congresso Nacional de Linguística e Filologia (CNLF) - UERJ, 2010, Rio de Janeiro - RJ. Cadernos do CNLF (CiFEFil). Rio de Janeiro - RJ: CiFEFiL, v. XIV. p. 757-770, 2010.

CAVALHEIRO, J.; TOMÁS, R. N.; NEVES, A. As fronteiras entre o discurso científico e a divulgação científica: uma análise de matérias da revista Amazonas faz Ciência. Areté (Manaus), v. 4, p. 148-157, 2011.

CUNHA, M. Concepções de ciência no jornalismo: uma análise da divulgação da ciência em jornais. In: II Simpósio Internacional de Análise crítica do discurso e Encontro Nacional de Interação e linguagem verbal e não verbal, 2008, São Paulo. Anais do VII ENIL. São Paulo: USP, 2008. Disponível em: http://www. fflch.usp.br/dlcv/enil/pdf/60_Marcia_BC_ revisto_.pdf. Acesso em: 08 de abril de 2015.

CUNHA, M.; GIORDAN, M. Divulgação científica como um gênero de discurso: implicações na sala de aula. In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2009, Florianópolis. Anais do VII ENPEC. Belo Horizonte : ABRAPEC, 2009.

EL-HANI, C. N.; SEPÚLVEDA, C. Referenciais teóricos e subsídios metodológicos para a pesquisa sobre as relações entre educação científica e cultura. In: Santos, F. M. T. dos; Greca, I. M. R. (Org.). A Pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas Metodologias. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007.

FERRAZ, F. S. M. Gêneros da divulgação científica na internet. Dissertação (mestrado), Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2007.

FIRME, R. DO N. A abordagem ciência-tecnologia-sociedade (CTS) no ensino da termoquímica: análise da construção discursiva de uma professora sobre conceitos científicos. Tese. (Doutorado em Educação – Planejamento Educacional) Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2012.

FONSECA, M. Aprendizagem do gênero de divulgação científica em anos inicias do ensino fundamental. (Dissertação em Educação) Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia. 2011.

GERMANO, M.G.; KULESZA, W.A. Popularização da Ciência: uma revisão conceitual. Cad. Bras. Ens. Fís., v. 24, n. 1: p. 7-25, abr., 2007.

GIORDAN, M. Computadores e linguagem nas aulas de ciências: uma perspectiva sociocultural para compreender a construção de significados. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008.

GOHN, M. G. M. Educação Não Formal: um novo campo de atuação. Ensaio. Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 6, n.21, p. 511-526, 1999.

GRIGOLETTO, E. O discurso de divulgação científica: um espaço discursivo intervalar. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Letras, 2005.

GRILLO, S. V. C. Gêneros primários e gêneros secundários no círculo de Bakhtin: implicações para a divulgação científica. Alfa (ILCSE/UNESP), v. 52, p. 57-79, 2008.

GRUZMAN, C. Educação, ciência e saúde no museu: uma análise enunciativo-discursiva da exposição do museus de microbiologia do Instituto Butantan. Tese. (Doutorado em Educação) Universidade de São Paulo, São Paulo. 2012.

LIMA, G. S.; GIORDAN, M. O discurso citado na divulgação científica: alguns apontamentos. In: XX Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2013, São Paulo. Anais do XX Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2013.

MARANDINO, M.; SILVEIRA, R. V. M. ; CHELINI, M. J. E ; GARCIA, V. A. R. ; MARTINS, L. C. ; LOURENÇO, M. F. ; FLORENTINO, H. A. A Educação Não Formal e a Divulgação Científica: o que pensa quem faz? In: IV Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências - ENPEC, 2004, Bauru. Atas do IV Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências - ENPEC, 2004.

MORTIMER, E. F.; SCOTT, P. H. Atividade discursiva nas salas de aula de ciências: uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações em Ensino de Ciências (Online), Porto Alegre - RS, v. 7, n.3, p. 7, 2002.

PRADO, V. A. do. O gênero de divulgação científica: leitura, ensino e avaliação em classes de terceiro e quinto anos do ensino fundamental. Dissertação. (Mestrado em Educação – Ensino-Aprendizagem) Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília. 2011.

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R.C.S.R. A Importância de Bakhtin e seu círculo no processo de comunicação científica no Brasil. Revista Práxis, 2017.

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R.C.S.R. Conhecimentos produzidos acerca da comunicação científica em Bakhtin: uma incursão nas dissertações e teses brasileiras. Revista Práxis, 2018.

ROCHA, M. B. Textos de divulgação científica na sala: a visão dos professores de ciências. Revista Augustus (Rio de Janeiro. Impresso), v. 14, p. 24-34, 2010.

SABBATINI, M. Museus e centros de Ciência virtuais: uma nova fronteira para a cultura científica, 2007. Disponível em http://www.comciencia.br/ reportagens/cultura/cultura14.shtml. Acesso em 15 de setembro de 2007.

SANTOS, W.L.P.; MORTIMER, E.F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência - Tecnologia – sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, vol. 2/ nº 2, dez., 2002.

SOCOLOSKI, T. DA S. Letramento científico crítico e gênero notícia de PC: análise de atividades didáticas de leitura em língua inglesa. (Dissertação em Letras) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2011.

SOUZA, V. F. M. A importância da pergunta na promoção da alfabetização científica dos alunos em aulas investigativas de física. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ensino de Ciências e Matemática – Modalidade Física, Química e Biologia) Universidade de São Paulo, São Paulo. 2012.

ZAMBONI, L.M.S. Heterogeneidade e Subjetividade no Discurso da Divulgação Científica. Tese (doutorado), Unicamp, FE, 1997.

ZAMBONI, L.M.S. Cientistas, jornalistas e a divulgação científica: subjetividade e heterogeneidade no discurso da divulgação científica. Campinas, S.P.: Autores Associados, 2001.Almeida, S. A. de. (2011).Interações e práticas de letramento mediadas pela revista Ciência Hoje das Crianças em sala de aula. (Doutorado em Educação) Universidade de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.21598

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional