Reflexões sobre a formação continuada de professoras/es e suas interfaces com a educação sexual no cotidiano da educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/43.2023.23175

Palavras-chave:

formação continuada, educação sexual emancipatória, Paulo Freire, educação infantil

Resumo

Este artigo tem em vista refletir sobre a categoria formação continuada de professoras/es a partir dos pressupostos da categoria educação emancipatória numa perspectiva freireana e suas interfaces com a Educação Sexual no cotidiano da Educação Infantil. O artigo possibilita subsidiar uma ampliação de estudos desses fundamentos teóricos sobre a temática que é eixo de um projeto de dissertação em andamento de um dos autores. A metodologia para dar luz ao texto foi a pesquisa bibliográfica, realizada por meio de algumas obras de Paulo Freire e em artigos de outras/os autoras/es que tratam de temas freireanos, formação continuada e Educação Sexual emancipatória. Para reflexões finais, foi possível observar que Paulo Freire, aponta para as possibilidades de auxiliar em processos de educação emancipatória de formação continuadas de professoras/es junto as interfaces com projetos intencionais de Educação Sexual emancipatória em processos de busca constante da sua transformação, porque acreditamos que o SER ainda é inacabado dentro desse processo de vida e de produção de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Antunes, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Mestrando em Educação

Sonia Maria Martins de Melo, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutora em Educação

Referências

BOSCO, L. V. EDUCAÇÃO SEXUAL E FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E PROFESSORAS NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FLORIANÓPOLIS/SC. 2019. 143 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/214920/PECT0404-D.pdf?sequence=-1&isAllowed=y. Acesso em: 15 out. 2022.

BRASIL. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 01 out. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 26 jun. 2014b. Seção 1, p. 1, Ed. Extra. Disponível em: https://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em: 01 out. 2022.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/pne.pdf. Acesso em: 20 out. 2022.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 27 de outubro de 2020. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica (BNC-Formação Continuada). Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação. 2020. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/outubro-2020-pdf/164841-rcp001-20/file. Acesso em 01 out. 2022.

BUENO, R. C. P.; RIBEIRO, P. R. M. HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO SEXUAL NO BRASIL: APONTAMENTOS PARA REFLEXÃO. Revista Brasileira de Sexualidade Humana, [S. l.], v. 29, n. 1, p. 49–56, 2018. http://dx.doi.org/10.35919/rbsh.v29i1.41. Disponível em: https://www.rbsh.org.br/revista_sbrash/article/view/41. Acesso em: 21 out. 2022.

CARVALHO, S; PIO, P. A categoria da práxis em Pedagogia do Oprimido: sentidos e implicações para a educação libertadora. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, [S.L.], v. 98, n. 249, p. 428-445, 18 jun. 2017. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. http://dx.doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.98i249.2729. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/article/view/3378. Acesso em: 25 out. 2022.

CHIMENTÃO, L. K. O significado da formação continuada docente.

Universidade de Londrina, 2009. Disponível em:

http://www.uel.br/eventos/conpef/conpef4/trabalhos/comunicacaooralartigo/artigocomoral2.pdf. Acesso em: 08 out. 2022.

FIGUEIRÓ, M. N. D. Educação Sexual: retomando uma proposta, um desafio. 3.ed. rev. ampl. Londrina, PR: Eduel, 2010. p. 240.

FRANÇA, F. F.; CALSA, G. C. GÊNERO E SEXUALIDADE NA FORMAÇÃO DOCENTE: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Revista Sociais e Humanas, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 111–120, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/sociaisehumanas/article/view/2828. Acesso em: 21 out. 2022.

FREIRE, P. Educação e mudança. 44ª ed.; Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2021.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 7ª ed.; Rio de Janeiro, Paz e Terra,1983.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 1ª. ed.; Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2021a.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 77ª ed.; Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2021b.

FREIRE, P. Prefácio. In: RIBEIRO, M. Educação Sexual: novas ideias, novas conquistas. São Paulo: Editora Gente, 1993.

IMBERNÓN, F. Formação Continuada de Professores. Tradução Juliana dos Santos Padilha. Porto Alegre: Artmed, 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed.São Paulo: Cortez, 2011.

MALAGI, A. A formação do/a pedagogo/a para a educação sexual escolar. 2020. 363 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2020. Disponível em: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/3910. Acesso em: 19 out. 2022.

MELO, S. M. M.; et al. Educação e Sexualidade. (Caderno pedagógico 2.ed. rev.), Florianópolis: UDESC/CEAD/UAB, 2011.

MELO, S. M. M. de.; PACHECO, R. da V.; FREITAS, M. de. EDUCAÇÃO SEXUAL EMANCIPATÓRIA E O PENSAMENTO CRÍTICO: reflexões sobre saberes e fazeres do grupo edusex. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.L.], v. 14, n. 26, p. 438, 11 dez. 2020. Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL. http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v14e262020438-453. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/Poiesis/article/view/9780. Acesso em: 21 out. 2022.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, [S.L.], v. 47, n. 166, p. 1106-1133, dez. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/198053144843. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/WYkPDBFzMzrvnbsbYjmvCbd/?lang=pt. Acesso em: 01 out. 2022.

NÓVOA, A. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa-Portugal: Educa, 2002. ISBN 972-8036-48-5. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/3703. Acesso em: 01 out. 2022.

RAUPP PEREIRA, G. DECURSOS EDUCATIVOS E CONHECIMENTOS PARA UMA EDUCAÇÃO SEXUAL EMANCIPATÓRIA INTENCIONALEDUCATIONAL PATHS AND KNOWLEDGE FOR AN INTENTIONAL EMANCIPATORY SEXUAL EDUCATION. Revista Linhas, Florianópolis, v. 11, n. 01, p. 53 - 67, 2010. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/2016. Acesso em: 16 out. 2022.

VILLA, T.; PRADO, V. M. Formação continuada em educação sexual para docentes de Educação Infantil. REVISTA COCAR (ONLINE), v. 14, 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3502. Acesso em 19 out. 2022.

Downloads

Publicado

31.01.2023

Como Citar

ANTUNES, Leandro; MELO, Sonia Maria Martins de. Reflexões sobre a formação continuada de professoras/es e suas interfaces com a educação sexual no cotidiano da educação infantil. Dialogia, [S. l.], n. 43, p. e23175, 2023. DOI: 10.5585/43.2023.23175. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/23175. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos