Educação, clandestinidade e cultura política: a denúncia como princípio e recurso educativo nas páginas de A Classe Operária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/46.2023.24489

Palavras-chave:

A Classe Operária, História da Educação, clandestinidade, cultura política

Resumo

O objetivo central deste artigo é apresentar os resultados parciais de uma investigação acerca do papel educativo do jornal A Classe Operária, que circulou clandestinamente durante a ditadura militar brasileira (1964-1985). Relacionando os conceitos de educação, clandestinidade e cultura política, além de considerar referenciais metodológicos ligados aos potenciais usos da fonte jornal para a História da Educação, a análise de vinte (20) edições deste periódico, entre 1967 e 1969, demonstrou que A Classe Operária foi um importante instrumento de educação para os comunistas na clandestinidade. Em suas páginas, a denúncia teve centralidade como princípio e recurso educativo. Como princípio, teve a função de disseminar valores, crenças, convicções e pressupostos associados à cultura política comunista, o que já era uma prática educativa desde o seu surgimento em 1925. Como recurso, serviu como um disseminador de valores que enfatizavam o comprometimento, a solidariedade e a lealdade com a organização partidária, além da capacidade de enfrentar riscos e adversidades, principalmente quando a militância comunista precisou atuar na clandestinidade, entre fins dos anos 1960 e meados dos 1970.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marieli Elena Müller, Universidade de Santa Cruz do Sul – Unisc

Graduada em História

 

Eduarda Thaís dos Santos, Universidade de Santa Cruz do Sul – Unisc

Graduada em História

 

Diego Orgel Dal Bosco Almeida, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó)

Doutor em História

 

Referências

A CLASSE OPERÁRIA. Vincular-se às massas. Rio de Janeiro, n. 16, jul. 1967. Disponível em: http://www.grabois.org.br/cdm/jornal-classe-operaria-arquivo?aba=4. Acesso em: 01. nov. 2021.

A CLASSE OPERÁRIA. Tarefa decisiva. Rio de Janeiro, n. 19, fev. 1967. Disponível em: http://www.grabois.org.br/cdm/jornal-classe-operaria-arquivo?aba=4. Acesso em: 01. nov. 2021.

A CLASSE OPERÁRIA. Apelo revolucionário. Rio de Janeiro, n. 22, maio. 1968. Disponível em: http://www.grabois.org.br/cdm/jornal-classe-operaria-arquivo?aba=4. Acesso em: 01. nov. 2021.

A CLASSE OPERÁRIA. Crime monstruoso da ditadura. Rio de Janeiro, n. 35, nov. 1969. Disponível em: http://www.grabois.org.br/cdm/jornal-classe-operaria-arquivo?aba=4. Acesso em: 01. nov. 2021.

ALMEIDA, Diego Orgel Dal Bosco. Dimensões da narrativa como testemunho: educação e clandestinidade no relato de viagem As muralhas de Jericó, de Josué Guimarães. In: SILVEIRA, Éder da Silva; ALMEIDA, Diego Orgel Dal Bosco; PEREIRA, Marcos Villela. Educação clandestina: dimensões conceituais e novas interlocuções. Vol. 3. Porto Alegre: Edipucrs, 2021, p. 83-102.

ARRUDA, Diógenes. A educação revolucionária do comunista. 2. ed. São Paulo: Anita Garibaldi, 2000.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2002.

CABANAS, José María. Teoria da Educação: concepção antinómica da educação. Lisboa: Asa, 2002.

CATANI, Denice Bárbara; BASTOS, Maria Helena Camara. Apresentação. In: BASTOS, Maria Helena Camara; CATANI, Denice Bárbara (Orgs.). Educação em revista: a imprensa e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 1997, p. 5-10.

CATANI, Denice Bárbara; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Um lugar de produção e a produção de um lugar: a história e a historiografia divulgadas no GT História da Educação da ANPEd (1985-2000). Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 113-128, jan./abr. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/gh7nGVYpKmBgjShVFSSB8Bv/?lang=pt&format=pdf Acesso em: 05 dez. 2021.

ELMIR, Claudio Pereira. As armadilhas do jornal: algumas considerações metodológicas de seu uso para a pesquisa histórica. In: LEAL, Elizabeth. O uso das fontes: a bibliografia acadêmica, o jornal e o documento oficial na pesquisa histórica. Cadernos do Programa de Pós-graduação em História da UFRGS, Porto Alegre, n. 13, s.n., 1995.

FERREIRA, Jorge. Os comunistas e os novos rumos. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE

HISTÓRIA. ANPUH, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo: ANPUH, 2011.

FIUZA, A. F.; BRAGGIO, A. K. Acervo da DOPS/PR: uma possibilidade de fonte diferenciada para a história da educação. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 5, n. 10, p. 430-452, jul./dez. 2013. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180305102013430 Acesso em: 05 dez. 2021.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREITAG, Bárbara. Escola, estado e sociedade. São Paulo: Livraria Editora, 1986.

LACERDA FILHO, Mozart. A experiência da clandestinidade política: relatos orais de ex-militantes de esquerda durante a ditadura militar (1964-1979), 2011, Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista em Franca, Franca, 2011.

LUCA, Tânia Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanesi; LUCA, Tânia Regina de (Orgs). Fontes históricas. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2006.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A cultura política comunista. In: NAPOLITANO, Marcos;

CZAJKA, Rodrigo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Orgs.). Comunistas brasileiros: cultura política e produção cultural. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2013, p. 15-37.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Desafios e possibilidades na apropriação de cultura política pela historiografia. In: MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Org.). Culturas políticas na história: novos estudos. 2. ed. Belo Horizonte, 2014, p. 13-38.

NÓVOA, António. A imprensa de educação e ensino: concepções e organização do repertório português. In: BASTOS, Maria Helena Camara; CATANI, Denice Bárbara (Orgs.). Educação em revista: a imprensa e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 1997, p. 11-31.

SILVEIRA, Éder da Silva; ALMEIDA, Diego Orgel Dal Bosco. Educação clandestina: a proposição de um conceito. Educar em Revista, Curitiba, v. 37, p. 1-20, 2021. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/75265/45102 Acesso em: 25 abr. 2023.

SILVEIRA, Éder da Silva; MORETTI, Cheron Zanini. Memórias de uma educação clandestina: comunistas brasileiros e escolas políticas na União Soviética na década de 1950. Educar em Revista, Curitiba, v. 33, n. 66, p. 193-208, 2017. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/50178 Acesso em: 05 abr. 2023.

SILVEIRA, Éder da Silva; OLIVEIRA, Amanda Assis de. Narrativas, memórias e experiência na história de uma educação clandestina. In: SILVEIRA, Éder da Silva; MORETTI, Cheron Zanini;

PEREIRA, Marcos Villela (Orgs). Educação Clandestina: educação e clandestinidade. Vol 1. Porto Alegre: Edipucrs, 2019, p. 151-174.

SILVEIRA, Éder da Silva; OLIVEIRA, Amanda Assis de; MULLER, Marieli Elena; NICOLAY, Paula. Educação comunista nas páginas do jornal A Classe Operária (1968-1970). In: SILVEIRA, Éder da Silva; MORETTI, Cheron Zanini; PEREIRA, Marcos Villela (Orgs). Educação clandestina: educação e culturas políticas. Vol. 2. Porto Alegre: Edipucrs, 2019, p. 59-79.

Downloads

Publicado

27.11.2023

Como Citar

MÜLLER, Marieli Elena; SANTOS, Eduarda Thaís dos; ALMEIDA, Diego Orgel Dal Bosco. Educação, clandestinidade e cultura política: a denúncia como princípio e recurso educativo nas páginas de A Classe Operária. Dialogia, [S. l.], n. 46, p. e24489, 2023. DOI: 10.5585/46.2023.24489. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/24489. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos