Escola e punição: as relações entre a punição penitenciária e o contexto escolar

Lívia Letícia Zanier Gomes

Resumo


Neste artigo, enfocamos a operacionalização do poder no ambiente escolar, baseando-nos, sobretudo, em Foucault. Começamos por definir a questão da disciplina para, daí, evidenciar os fatores mais fortemente disciplinadores na escola. Em seguida, traça-se um paralelo entre os mecanismos de poder da instituição escolar, pertencentes ao cotidiano docente e institucional, e os de instituições penitenciárias, conforme tratados na obra Vigiar e punir, do autor citado, a fim de demonstrar o quanto a escola traz em si mecanismos penitenciários com intuito de docilizar corpos e mentes. Por fim, pretendemos alertar quanto às práticas arraigadas de docilização utilizadas pela maioria dos docentes – aplicação de provas, aval disciplinar dos conselhos de classe, inspetoria de alunos, instrumentos que são mais ameaçadores e punitivos do que realmente educativos –, para que estudos posteriores possam, a partir dessas reflexões, sugerir maneiras de revê-las.

Palavras-chave


Escola. Instrumentos Disciplinadores. Poder. Sistema Penitenciário.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N16.2966

Direitos autorais



Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.