Educação em direitos humanos em tempos de crise

Linda Carter Souza da Silva, Luiz Gomes da Silva Filho

Resumo


O estudo tem por objetivo apresentar reflexões acerca da Educação em Direitos Humanos considerando um contexto de crise permanente do Estado. A metodologia se assenta em uma abordagem qualitativa sendo uma pesquisa exploratória que tem por método o levantamento e análise de fontes bibliográficas. Os resultados alcançados evidenciam que tal crise dificulta o processo de tomada de decisões estendendo as dificuldades a setores como assistência social, moradia, saúde e educação. É nesse cenário, que se considera de fundamental importância educar para os direitos humanos. Essa proposta de educação, afirma a escola enquanto lugar de acesso, garantia e conhecimento sobre os direitos humanos, perspectivando assim, a luta por justiça social e dignidade humana.


Palavras-chave


Crise; Educação; Direitos humanos

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado. 3. ed. Lisboa: Editorial Presença/Martins Fontes, 1980.

BALL, Stephen; MAINARDES, Jefferson. (Org). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. BORDONI, Carlo. Estado de Crise. Trad. Renato Aguiar. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.102p.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. - Características da investigação qualitativa. In: Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Porto Editora, 1994. p.47- 51.

BRASIL. Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos. ONU. Brasília, 2012. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000217350_por. Acesso em: 28 Out. 2019.

BRASIL. MEC. Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Resolução Nº1 de 30 de Maio de 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10889- rcp001-12&category_slug=maio-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 22 Mai. de 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio. Acesso em: Out. 2019.

BRASIL. Lei 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Brasília, Secretaria de Assuntos Jurídicos da Casa Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm . Acesso em: 03 fev. 2020.

BRASIL. Caderno de educação em direitos humanos. Educação em Direitos Humanos: Diretrizes Nacionais, Brasília, 2013.

CANDAU, Vera Maria. Et al. Educação em Direitos Humanos e formação de professores(as). 1 ed. São Paulo: Cortez, 2013.

COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação Histórica dos Direitos Humanos. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 14 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, Paulo.. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GAZIER, Bernard. A Crise de 1929. Porto Alegre: L&PM Editores, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antônio Carlos.Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. D.; BARIZÃO, D. F. A crise econômico-financeira de 2008/2009 e seu impacto no Brasil. Revista Horizonte Científico. 6(1), 2012.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A, 1988.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 6 ed. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1988.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX:1914-1991. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das letras, 1995.

ILLICH, Ivan. Sociedade sem escola. trad. Lúcia Mathilde Endlich orth. 7.ed. Petrópolis - RJ. Vozes, 1986.

MAGDENZO, Abraham. Educación em Derechos Humanos. Bogotá: Cooperativa Editorial Magisterio, 2005. IN: CANDAU, Vera Maria; PAULO, Iliana; ANDRADE, Marcelo; LUCINDA, Maria da Consolação; SACAVINO, Susana; AMORIM, Viviane. Educação em Direitos Humanos e formação de professores(as). 1. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MICHAELIS. Dicionário da Língua Portuguesa. Disponível: http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/crise/. Acesso em: 29 Out. 2019.

MONTEIRO, Denise Mattos. Introdução à história do Rio Grande do Norte. 3. ed. Natal: RN: EDUFRN, 2007.

SAVIANI, Demerval. História das Ideias Pedagógicas no Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2013.

TOURAINE, Alain. Após a crise: a decomposição da vida social e o surgimento de atores não sociais. Trad. Fracisco Morás. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.n36.16827

Direitos autorais 2020 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.