A arte de viver em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/dialogia.n36.18288

Palavras-chave:

COVID-19, Exercícios espirituais, Arte de viver

Resumo

O artigo utiliza o método de pesquisa bibliográfico-reflexivo para apresentar os conceitos de “arte de viver”, “exercícios espirituais” e “práticas de si”, trabalhados, cada um a seu modo, por Pierre Hadot (1922-2010) e Michel Foucault (1926-1984). O objetivo é apontar que, mesmo em meio aos problemas trazidos e evidenciados pela pandemia de COVID-19, é possível a transformação do indivíduo, no sentido de que, em meio ao caos, sempre deve haver esperança, de modo a modificar o olhar do sujeito em relação ao outro. Com isso, trazemos duas sessões principais: uma, que retoma o contexto da pandemia e, outra, que aponta, por meio das teorias filosóficas e dos dois referenciais, uma nova maneira de viver.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jordana da Silva Corrêa, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas (2019). Mestra em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas (2016); Licenciada em Artes pelo Claretiano Centro Universitário (2017) e Bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal de Pelotas (2011). Suas áreas prioritárias de pesquisa são Filosofia da Educação, Estética e Artes. Membro dos Grupos de Pesquisa Filosofia, Educação e Práxis Social (UFPel), e SUR PAIDEIA (UTP).

Neiva Afonso Oliveira, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Filosofia pela PUC-RS, em 2004. Atualmente, é professora associada da Universidade Federal de Pelotas; é professora do Programa de Pós-Graduação, credenciada na linha de pesquisa Filosofia e História da Educação. 

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 4. ed. Trad. Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

FOUCAULT, Michel. Les techniques de soi. In: FOUCAULT, Michel. Dits et Écrits IV. Paris, Gallimard, 1994. p. 783-813.

FOUCAULT, Michel. A Hermenêutica do Sujeito: curso dado no Collège de France. 3. ed. Trad. Márcio Alves da Fonseca. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

GALVÃO, Bruno Abílio. A ética em Michel Foucault: do cuidado de si à estética da existência. Intuitio PUC-RS, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 157-168, 2014. Disponível em https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/17068/11428.

Acesso em 08 maio de 2019.

GROS, Frédéric. O Cuidado de Si em Michel Foucault. In: RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Figuras de Foucault. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. pp. 127-138.

HADOT, Pierre. Exercícios Espirituais e Filosofia Antiga. São Paulo: É Realizações, 2014.

ORTEGA, Francisco. Amizade e Estética da Existência em Foucault. Rio de Janeiro: Edições Graal Ltda., 1999.

PELLIZARO, Nilmar. A amizade na perspectiva de M. Foucault. Argumentos, Fortaleza, ano 7, n. 14, p. 113-126, jul-dez 2015.

Downloads

Publicado

22.12.2020

Como Citar

CORRÊA, Jordana da Silva; OLIVEIRA, Neiva Afonso. A arte de viver em tempos de pandemia. Dialogia, [S. l.], n. 36, p. 149–161, 2020. DOI: 10.5585/dialogia.n36.18288. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/18288. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê O (Re)inventar da Educação em Tempos de Pandemia