Novas autorias em redes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/dialogia.n36.18317

Palavras-chave:

Currículo, Ensino remoto, Inovação, Redes

Resumo

O artigo analisa o caso “Projeto Monitoria EaD” e a coletânea “De Wuhan a Perdizes: trajetos educativos”, ambos desenvolvidos no primeiro semestre de 2020. Inovadores, os dois projetos foram realizados por uma instituição de ensino superior para retomar as aulas em regime remoto após a suspensão das atividades presenciais decorrente da pandemia da Covid-19. Reuniram professores, alunos e egressos com comportamentos e características de uma “rede”. Como resultados, as aulas, as leituras e as pesquisas foram recontextualizadas e ressignificadas, abrindo novos espaços de aprendizagem para professores e alunos. As variáveis, advindas das exigências de isolamento físico, possibilitaram um espaço de divulgação científica que dialogasse com os assuntos em voga que afetam a Educação formal. Emergiram novas autorias e parcerias. Os dois produtos resultaram na construção de uma “rede” democrática e inclusiva, que oportuniza a autonomia e o empoderamento dos integrantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando José de Almeida, PUC SP

Possui graduação em Filosofia e Pedagogia pela Faculdade Nossa Senhora Medianeira (1970), com Mestrado e Doutorado em Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1977 e 1984), onde leciona, como professor titular, no Programa de Pós-graduação em Educação: Currículo. Fez seu Pós-doutorado em convênio CNPQ/CNRS, em Lyon - França, no IRPEACS, em 1986-1987. Suas pesquisas se desenvolveram na área de Uso das Tecnologias da Informação e Comunicação para aprendizagem e políticas públicas. Foi Vice-Reitor Acadêmico da PUC (1992-1995). Secretário Municipal de Educação da Cidade de Sao Paulo (2001-2002). Participou de Programa de formação de Mestres e Doutores em Educação em Moçambique entre 1999-2006. Vice-Presidente da Fundação Padre Anchieta - Rádios e TV Educativas SP, e seu Diretor de Educação (2007-2013 e 2019 - 2020). 
Diretor de avaliação, currículo e formação - COPED - da Secretaria de Educação Municipal da Cidade de São Paulo, 
Foi diretor Nacional do SESC nas áreas de Educação e Cultura (2017). 
É Membro do conselho do Museu da Língua Portuguesa e do Museu do futebol e do São Paulo:Companhia de Dança. É membro honorário da Academia Paulista de Educação. 
Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Informatica, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, currículo, ensino-aprendizagem, informática e formação de professores.

Maria da Graça Moreira Silva, PUCSP

Maria da Graça Moreira da Silva concluiu o doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2004. Atualmente é docente do Departamento de Ciências da Computação e docente participante do programa de Pós-graduação em Educação: Currículo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Vem atuando na implantação e coordenação de projetos de EAD em instituições de ensino superior, com ênfase na formação de docentes para o uso de mídias e tecnologias na educação e no desenho instrucional de materiais didáticos para EAD. Participou de diversos projetos junto à SEED do MEC e em outras instituições. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: ambientes virtuais de aprendizagem, educação a distância, computadores e educação, e-learning, formação de professores, tecnologia educacional, computadores educação, educação especial, design dnstrucional e educação e tecnologia.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7868517261081624

Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida, PUC SP

Professora associada da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Livre docente em Educação e tecnologias (PUC-SP, 2019), Doutora em Educação (Currículo) pela PUC-SP (2000) com mestrado em Educação (Currículo) pela PUC-SP (1996), graduação em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1973). Membro do Comitê Assessor da área de Educação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq, 2014 a julho, 2017), pesquisador produtividade PQ 1D do CNPq, consultor/parecerista ad hoc do CNPq, CAPES, FAPESP, líder do grupo de pesquisa Formação de educadores com suporte em meio digital, certificado em 2003. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo, da PUC-SP (2009-2013). Tem experiência em Educação e Tecnologias, com pesquisas e publicações sobre currículo e tecnologias, educação a distância, tecnologias e formação de professores, web currículo, cultura digital e educação, narrativa digital.

Referências

ALBUQUERQUE, J.G.; RAMOS, C. A S.; RUPP, L. L. O inesperado: de escola a centro de acolhimento pandemia e suas urgências para além do ideal. In: ALMEIDA, F. J.: ALMEIDA, M. E. B.; SILVA, M. G. (Orgs.). De Wuhan a perdizes: trajetos educativos. São Paulo: EDUC, 2020. p. 152-163.

ALMEIDA, M.E.B. A crise educacional gerada pelo Covid 19e as tecnologias: ontem, hoje e caminhos para o futuro. In: ALMEIDA, F. J.; ALMEIDA, M. E. B.; SILVA, M. G. (Orgs.). De Wuhan a perdizes: trajetos educativos. São Paulo: EDUC, 2020. p. 164-178.

BASSEY, M. Case study research in educational setting. Philadelphia: Open University Press, 2003.

BARROS, D. M.; OKADA, A. Os estilos de coaprendizagem para as novas características da educação (3.0). In: VIII INTERNATIONAL CONFERENCE ON ICT IN EDUCATION, 15-16 Jul. 2013, Braga, Portugal.

BAUMAN, Z.; BORDONI, C. Estado de Crise. Tradução: Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

CAPRA, F. A teia da vida: Uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix/Amana-Key, 2001.

CGI. Comitê Gestor da Internet no Brasil. Desigualdades digitais no espaço urbano: um estudo sobre o uso da internet na cidade de São Paulo. São Paulo: NIC.br, 2019.

CHENDO, M. Educación 2020: los migrantes forzados. Iberoamérica Social. Disponível em: https://iberoamericasocial.com/educacion-2020-los-migrantes-forzados/. Acesso em: 20 set. 2020.

DE BOLLE, Monica Baungarten. Pilhas de areia: rupturas. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

DOWBOR, L. A era do capital improdutivo. 2. ed. São Paulo: Outras Palavras, 2018.

DUSSEL, I. La clase en pantuflas. Conversatorio virtual con Inés Dussel. Canal ISEP. 23 abr. 2020. Vídeo (1h19min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6xKvCtBC3Vs&feature=youtu.be. Acesso em: 20 set. 2020.

HARVEY, D. A loucura da razão econômica: Marx e o capital no século XXI Tradução: Artur Renzo. São Paulo: Boitempo, 2018.

OLIVEIRA, F. et al. Os caminhos da monitoria nas práticas educativas remotas. In: ALMEIDA, F. J.; ALMEIDA, M. E. B.; SILVA, M. G. (Orgs.). De Wuhan a perdizes: trajetos educativos. São Paulo: EDUC, 2020. p. 54-63.

ONU. News Bruxelas (Bélgica). Jornal da ONU, 17 de março de 2020. Podcast. Disponível em: https://news.un.org/pt/audio/2020/03/1707612. Acesso em: 20 set. 2020.

OXFAM Brasil. Uma economia para os 99%. 2017. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/justica-social-e-economica/forum-economico-de-davos/uma-economia-para-os-99/. Acesso em: 20 set. 2020.

MAFFESOLI, M. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

MARCIAL, E. (Org.) Megatendências mundiais 2030: o que entidades e personalidades internacionais pensam sobre o futuro do mundo? Contribuição para um debate de longo prazo para o Brasil. Brasília: Ipea, 2015.

MARTINHO, C. Redes: uma introdução às dinâmicas da conectividade e da auto-organização. Brasília: WWF Brasil, 2003.

RAMOS, C.; BARRAGAN, L.; MASETTO, M. Educação a distância: monitores e professor, equipe responsável pela disciplina. In: ALMEIDA, F. J.; ALMEIDA, M. E. B.; SILVA, M. G. (org.). De Wuhan a perdizes: trajetos educativos. São Paulo: EDUC, 2020. p. 14-21.

SCHEIDEL, W. Violência e a história da desigualdade: da idade da pedra ao século XXI. Tradução: Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

Downloads

Publicado

22.12.2020

Como Citar

DE ALMEIDA, Fernando José; SILVA, Maria da Graça Moreira; DE ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini. Novas autorias em redes. Dialogia, [S. l.], n. 36, p. 176–192, 2020. DOI: 10.5585/dialogia.n36.18317. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/18317. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê O (Re)inventar da Educação em Tempos de Pandemia