Almanaque digital: a “escrevivência” da mulher negra e as vozes silenciadas na literatura brasileira

Denise Stefanoni Combinato, Gislaine Aparecida dos Reis, Deborah Caroline Ramos Bahiense

Resumo


O objetivo deste trabalho foi recuperar a história de vida e a produção de escritoras negras – Antonieta de Barros, Carolina Maria de Jesus, Conceição Evaristo, Maria Firmina dos Reis e Ruth Guimarães, a fim de promover uma reflexão sobre gênero e racismo com alunos de Ensino Médio. Foi elaborado um almanaque digital interativo a partir do estudo do papel da mulher negra na literatura e na sociedade. O almanaque contou com elementos clicáveis, QR Codes e/ou links para atividades em plataformas externas, como jogos, testes e vídeos. Através de uma aula on-line para apresentação do almanaque a alunos de uma Escola Estadual Integral do interior do estado de São Paulo, foi possível identificar reflexões sobre gênero e raça, inclusive com testemunho de vida dos alunos. A maioria não conhecia essas escritoras e, segundo avaliação posterior das professoras da turma, o almanaque digital despertou o interesse dos alunos pela literatura.


Palavras-chave


almanaque digital; literatura afro-brasileira; autoras negras; racismo; gênero

Texto completo:

PDF

Referências


A COR da Cultura. Antonieta de Barros, 2010. Disponível em: http://antigo.acordacultura.org.br/herois/heroi/antonietadebarros. Acesso em: 30 abr. 2021.

ABRANTES, E. L. Raça e cor nos textos em prosa. In: VILHAGRA, L. T. F. R. et al. Estudos de literatura: análise da narrativa em suas diversas manifestações. Porto Alegre: SAGAH, 2020. p. 213-228.

ALVES, L. A. S.; SANTOS, B. R.; FREITAS, L. G. Impacto das ações formativas no uso de tecnologias nas práticas docentes. Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 316-334, 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ptp/v19n3/v19n3a14.pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

ALMEIDA, S. Racismo Estrutural. São Paulo: Jandaíra, 2018.

BERNARDES, M. E. M. Ensino e aprendizagem como unidade dialética na atividade pedagógica. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), v. 13, n. 2, p. 235-242, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pee/v13n2/v13n2a05.pdf. Acesso em: 04 maio 2021.

BRANDINO, L. Conceição Evaristo. Brasil Escola, 2021. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/conceicao-evaristo.htm. Acesso em: 14 abr. 2021.

BRANDINO, L. Maria Firmina dos Reis. Português, 2021. Disponível em: https://www.portugues.com.br/literatura/maria-firmina-dos-reis.html. Acesso em: 18 abr. 2021.

BRASIL, Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Brasília, DF: Palácio do Planalto, 2003. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm. Acesso em: 28 jun. 2021.

BRASIL, Lei nº 11.645, 10 de março de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília, DF: Palácio do Planalto, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm. Acesso em: 28 jun. 2021.

CANDIDO, A. Literatura e sociedade. 9. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CARNEIRO, S. Enegrecer o Feminismo: A situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. In: ASHSOKA, T. Racismos Contemporâneos. (org.). Rio de Janeiro: Cidadania, 2003.

COUTINHO, S. Consuni aprova título de Doutora Honoris Causa a Carolina Maria de Jesus. Centro de Filosofia e Ciências Humanas – UFRJ, fev./2021. Disponível em: http://www.cfch.ufrj.br/index.php/27-noticias/1415-consuni-aprova-titulo-de-doutora-honoris-causa-a-carolina-maria-de-jesus. Acesso em: 30 abr. 2021.

D’ONOFRIO, S. Ruth Guimarães: uma romancista negra na imprensa brasileira dos anos 1940. Acervo, Rio de Janeiro, v. 33, n. 1, p. 189-203, 2020. Disponível em: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/1524/1438. Acesso em: 23 mar. 2021.

DUARTE, E. A. Por um conceito de literatura afro-brasileira. In: DUARTE, E. A. (coord.). Literatura afro-brasileira: 100 autores do século XVIII ao XXI. 2. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2014. p.17-45.

DUARTE, N. As pedagogias do aprender a aprender e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 35-40, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n18/n18a04.pdf. Acesso em: 04 maio 2021.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Conceição Evaristo. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa6851/conceicao-evaristo. Acesso em: 13 abr. 2021.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Maria Firmina dos Reis. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa641361/maria-firmina-dos-reis. Acesso em: 18 abr. 2021.

EVARISTO, C. Da representação à auto-apresentação da Mulher Negra na Literatura Brasileira. Revista Palmares, 2005. Disponível em: http://www.palmares.gov.br/sites/000/2/download/52%20a%2057.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

EVARISTO, C. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2009.

EVARISTO, C. Escrevivência – Episódio 01 da série Ecos da Palavra, 2017. 1 vídeo. [Entrevista cedida a] Renata Codagan. Publicado pelo canal Instituto de Arte Tear. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4EwKXpTIBhE&t=16s. Acesso em: 8 maio 2021.

EVARISTO, C. Vozes-mulheres. In: Vários autores. 50 poemas de revolta. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

EVARISTO, C. A escrevivência e seus subtextos. In: DUARTE, C. L.; NUNES, I. R. Escrevivência: a escrita de nós. Reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e arte, 2020. p.26-46.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

IPEA. Atlas da violência, 2020. Disponível em https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/downloads/8132-atlas-da-violencia-2020-infografico.pdf. Acesso em: 21 abr. 2021.

LITERAFRO. Antonieta de Barros. Literafro, 2018. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/autoras/57-antonieta-de-barros. Acesso em: 30 abr. 2021.

LITERAFRO. Carolina Maria de Jesus. Literafro, 2020. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/autoras/58-carolina-maria-de-jesus. Acesso em: 30 abr. 2021.

LITERAFRO. Conceição Evaristo. Literafro, 2021. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/autoras/188-conceicao-evaristo. Acesso em: 14 abr. 2021.

MACHADO, F. C.; LIMA, M. F. W. P. O Uso da Tecnologia Educacional: um fazer pedagógico no cotidiano escolar. SCIENTIA CUM INDUSTRIA, v. 5, n. 2, p. 44-50, 2017. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/scientiacumindustria/article/view/5280/pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

MADEIRA, Z.; GOMES, O. D. D. Persistentes desigualdades raciais e resistências negras no Brasil contemporâneo. Serv. Soc. Soc., São Paulo, v. 133, p. 463-479, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sssoc/n133/0101-6628-sssoc-133-0463.pdf. Acesso em: 30 abr. 2021.

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Antonieta de Barros. 2020. Disponível em: http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/68-Antonieta_de_Barros. Acesso em: 01 maio 2021.

NASCIMENTO, K. A.; BENATTI, A. R. “Maria”: A representação da mulher negra e do racismo no conto de Conceição Evaristo. Revista de Estudos de Literatura, Cultura e Alteridade, Igarapé, v. 13, n. 1, p. 38-65, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unir.br/index.php/igarape/article/view/5161. Acesso em: 24 abr. 2021.

REDE BRASIL ATUAL. Índice de feminicídio aumenta em 2020, e mulheres negras são as principais vítimas. 17 set. 2020. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2020/09/feminicidio-2020-mulheres-negras/ Acesso em: 21 abr. 2021.

SAMARA, E. M. O que mudou na família brasileira?: da colônia à atualidade. Psicologia USP, v. 13, n. 2, p. 27-48, 2002. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/53500. Acesso em: 9 maio 2021.

SISTEMA EDUCACIONAL BRASILEIRO (SEB). Entenda a importância da tecnologia na educação atual, 26 fev. 2019. Disponível em: https://catracalivre.com.br/educacao/entenda-a-importancia-da-tecnologia-na-educacao-atual/. Acesso em: 03 maio 2021.

SOUZA, F. Gênero e "raça" na literatura brasileira. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 32, p. 103-112, 2008, Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3231/323127096008.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

SOUZA, F. Mulheres negras escritoras. Revista Crioula, n. 20, p. 20-22, 2017. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/crioula/article/view/141317/136840. Acesso em: 01 maio 2021.

SOUZA, F. S. Literatura afro-feminina brasileira: uma forma de combate ao silenciamento e ao racismo. Di nuove e vecchie schiavitù, 2019. Disponível em: https://riviste.unimi.it/index.php/AMonline/article/view/11328/10711. Acesso em: 01 maio 2021.

VEIGA, E. Ruth Guimarães: o centenário da escritora pioneira que colocou a identidade negra no centro de sua obra. BBC, nov./2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-55024124. Acesso em: 25 mar. 2021.

WERNECK, J.; IRACI, N.; CRUZ, S. Introdução. In: WERNECK, J. (org.). Mulheres negras na primeira pessoa. Porto Alegre: Redes Editora, 2012. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/05/Mulheres_Negras_na_Primeira_Pessoa.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20429

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional