Diversidade como princípio formativo: uma discussão sobre as práticas educativas de saberes tradicionais

Alessandra Cristina Bernardino, Alexandre Vanzuita

Resumo


O objetivo deste artigo foi realizar uma discussão sobre a diversidade como princípio formativo, por meio da reflexão crítica de dois documentos: Proposta Curricular de Santa Catarina e Base Nacional Comum Curricular. Os temas sobre diversidade são pouco abordados, e desta forma, compromete-se a valorização da pluralidade cultural, das raças, de gêneros, entre outras diversidades. Deste modo, a falta de discussão dentro das escolas pode comprometer o desenvolvimento do aluno no que se refere a valorização de todas as culturas e a respeito das diferenças entre os cidadãos. Nesse sentido, a instituição escolar é um dos espaços que possibilita a construção do processo de interação, de humanização e de apostas na justiça social para um mundo melhor.


Palavras-chave


diversidade; educação; processos formativos

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei No 9394, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Lei No 10.639, de 9 de janeiro, 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Resolução CNE/CP Nº 2, de 22 de dezembro, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017.pdf. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Base Nacional Comum Curricular. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 09 jul. 2021.

CARONE, I. Igualdade versus diferenças. In: AQUINO, J. G. (Org.). Diferenças e preconceitos na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, p. 171-182, 1998.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES. N. L. (Org.) Indagações sobre currículo: diversidade e currículo. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, p. 17-47, 2007.

GOMES, N. L. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASIL. Educação Anti-racista: caminhos abertos pela Lei federal nº 10.639/03. Brasília, MEC, Secretaria de Educação Continuada e Alfabetização e Diversidade, p. 39-62, 2005.

GROSFOGUEL. R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, p. 115-147, 2008.

HALL. S. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: EdUFMG, 2003.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. Trad. Maria da Pena Villalobos. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010. p. 59-83.

LIMA, E. de S. Currículo e desenvolvimento humano. In: MOREIRA, A. F.; ARROYO, M. Indagações sobre currículo. Brasília: Departamento de Públicas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, p. 11-47, 2006.

MUNANGA, K. As facetas de um racismo silenciado. In: SCHWARCZ, L. K. M.; QUEIROZ, R. da S. (Org.). Raça e Diversidade. São Paulo: Edusp, p. 213-229, 1996.

MUNANGA, K. Teoria social e relações raciais no Brasil contemporâneo. Cadernos Penesb: Periódico do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira. Niterói, n. 12, p. 169-203, 2010.

SANTA CATARINA. Governo do Estado. Secretaria de Estado da Educação. Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina: formação integral na educação básica, Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado da Educação, 2014. Disponível em: www.propostacurricular.sed.sc.gov.br. Acesso em: 09 jul. 2021.

SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. G.; NUNES, J. A. Conhecimento e transformação social: por uma ecologia de saberes. Hiléia – Revista de Direito Ambiental da Amazônia, n. 6, jan/jun. 2006. Disponível em: https://pos.uea.edu.br/data/direitoambiental/hileia/2006/6.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021

SÃO PAULO. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal de Educação. Orientações Curriculares: expectativas de aprendizagem para a educação étnico-racial na educação infantl, ensino fundamental e médio. SME/ São Paulo. 2008. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/1752415/mod_resource/content/2/16%20etnico%20psp.pdf. Acesso em: 09 jul. 2021.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 5.ed. São Paulo (Brasil): Martins Fontes, 1996.

WALSH. C. Interculturalidad y (de) colonialidad: perspectivas críticas y políticas. Visão Global. Joaçaba: SC, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, jan/dez. 2012. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/visaoglobal/article/view/3412. Acesso em 09 jul. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20432

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional