Representatividade institucional frente a (des)construção de identidade e subjetividade no século XXI: a “tão sonhada” inclusão

Thyara Fiorillo Resende, Lívia Fabiana Saço, Eliana Lucia Ferreira

Resumo


A proposta de discussão aqui apresentada discorre sobre a representatividade institucional frente a (des) construção de identidade e de subjetividade no século XXI e sua visibilidade no discurso da inclusão. Para essa análise, constituída por uma pesquisa qualitativa, utilizou-se procedimentos de “análise do discurso” na perspectiva francesa, como referencial metodológico, e na materialidade discursiva diante aos “autores do conhecimento”, aqui representados por professores, diretores e coordenadores de uma escola estadual de Minas Gerais, que expuseram seus discursos sobre suas representatividades e inserção na educação. O discurso da inclusão educacional, como um direito constitucional garantido pela Constituição Brasileira de 1988, perpassa por grandes desafios, o que se relaciona à sua efetivação prática em um contexto de garantias de direitos. Dessa forma, sua reanálise ativa merece destaque no que condiz com a luta pela representatividade e pela heterogeneidade institucional e com a efetivação das políticas constitucionais para os alunos com deficiência.


Palavras-chave


educação; escola; inclusão; subjetividade

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Giovanni; FONSECA, Dora. Movimento social do precariado, carência de futuridade e necrose do capitalismo de bem-estar social em Portugal. Projeto História, São Paulo, n.46, p. 91-114, abr. 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/17130/13752. Acesso em 31 ago. 2021.

BARBOSA, Manoel. Educação, vida precária e capacitação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 39, n. 144, p. 584-599, jul./set. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 31 ago. 2021

BRASIL. Lei nº 13.146/2015, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), Brasília, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm Acesso em: 30 ago. 2021.

BERTONCELO, Edson. As classes na teoria sociológica contemporânea. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, São Paulo, n. 67, p. 25-49, 2009.

COURTINE, JEAN-JACQUES. Análise do discurso político: O discurso comunista endereçado aos cristãos. São Paulo: EdUFSCar, 2014.

ESQUINSANI, Rosimar. Quando o acesso é o menor dos problemas: o direito ao espaço escolar de qualidade. Dossiê Educação como direito humano social. 2020. São Paulo, v.35, p. 64-78, maio/ago/2020. Disponível em: https://doi.org/10.5585/dialogia.n35.16944.

ESPANHA. Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura. 2021 Metas Educativas: a educação que queremos para a geração dos bicentenários – documento síntese. Cidade Gráfica e Editora Ltda., Brasil. Tradução: B&C Revisão de Textos Madri. 2012.

FERREIRA, Eliana Lucia. Corpo-movimento-deficiência: as formas dos discursos da/na dança em cadeira de rodas e seus processos de significação. 2003. 243p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/275440. Acesso em: 31 ago. 2021.

FREITAS, Lorena Rodrigues Tavares de. A má-fé institucional na reprodução da desigualdade escolar no Brasil. In: XXVII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología. VIII Jornadas de Sociología de la Universidad de Buenos Aires. Asociación Latinoamericana de Sociología, 2009.

FREITAS, João Paulo; OLIVEIRA, Ana Carolina. Discurso do Sujeito Coletivo: a visão dos docentes do curso de ciências biológicas licenciatura de uma Universidade Federal frente à inclusão de alunos com deficiência no Ensino Superior. Dossiê Educação como direito humano social. 2020. São Paulo, v.35, p. 64-78, Maio/Ago/2020. Disponível em: https://doi.org/10.5585/dialogia.n35.16869. Acesso em: 20 jun. 2021.

KIRU, Elisheba; COOC, North. A Comparative Analysis of Access to Education for Students with Disabilities in Brazil, Canada, and South Africa. Journal of International Special Needs Education. 2018. V.21, n.2, p. 34–44. Disponível em: https://doi.org/10.9782/16-00024R4. Acesso em: 10 jul. 2021.

MANTOAN, Maria Tereza. Inclusão Escolar: o que é e como fazer? São Paulo. Ed. Moderna. 2003.

MURPHY, Cammy Educational Leaders and Inclusive Special Education:

Perceptions, Roles, and Responsibilities. Journal of Education and Culture Studies,

Vol. 2, No. 4, 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ONU, 2006.

ORLANDI, Eni: As Formas do silêncio: No movimento dos sentidos. 6.Ed. Campinas, SP: Unicamp, 1999.

ORLANDI, Eni. Interpretação: Autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 5. ed. Campinas: Pontes, 2007.

OMOTE. Sadam. Atitudes Sociais em relação à inclusão: Recentes avanços em pesquisa. Revista Brasileira de Educação Especial. v.24, edição especial, p.21-32, 2018.

PINTO, Geraldo Augusto. A organização do trabalho no século 20: taylorismo, fordismo e taylorismo. 2. Ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

RANGEL, André. Escola, jovens e mercado de trabalho: desfiliação institucional na Baixada Fluminense. In: RIBEIRO, Cesar de Queiroz. et al. (Orgs.). Desigualdades urbanas, desigualdades escolares. Rio de Janeiro: Letra Capital; Observatório das Metrópoles: IPPUR/UFRJ, 2010.

UNICEF. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomiten/Tailândia. 1990. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-mundial-sobre-educacao-para-todos-conferencia-de-jomtien-1990. Acesso em: 10 abr. 2019




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20533

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional