O Abc como um ponto de partida: Perspectivas acerca do processo de alfabetização de estudantes universitários

Jorge Samuel de Sousa Teixeira, Erica de Paula Sousa, Francisca Denise Silva Vasconcelos

Resumo


Esse trabalho tem como objetivo conhecer as percepções que alunos universitários provenientes de escolas públicas têm sobre o processo de alfabetização no ensino público. Para isso, foram feitas entrevistas semiestruturadas com 13 estudantes do curso de Psicologia da Universidade Federal do Ceará – Campus Sobral, sendo posteriormente realizada uma Análise Temática dos dados coletados. Foi possível perceber que alguns relatos ainda apontam para a manutenção de metodologias tradicionais de ensino, que não dão margem para que o aluno exerça sua autonomia de forma plena. Além disso, o papel da família, da própria instituição escolar e das variáveis socioeconômicas surgem enquanto fatores essenciais na análise dos processos de alfabetização da amostra trabalhada. Conclui-se que a multiplicidade de contingências que atravessam essa etapa não permite reduzir os alunos ao mero aspecto cognitivo, sendo necessária uma reflexão sobre os olhares lançados aos estudantes durante essa etapa.


Palavras-chave


Alfabetização; Escolarização; Educação

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua 1. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio. Acesso em: 9 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. D. O. U. de 23 de dezembro de 1996.

BRASIL. Portaria Nº 867, de 4 de julho de 2012. Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. 2012

BRAUN, V.; CLARKE, V. What can “thematic analysis” offer health and well being researchers? International Journal of Qualitative Studies on Health and Wellbeing, v. 9, n. 1, p. 1-2, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.3402/qhw.v9.26152. Acesso em: 24 de set. 2021.

DARROZ, L. M., ROSA, C. D., & GHIGGI, C. M. Método tradicional x aprendizagem significativa: investigação na ação dos professores de física. Aprendizagem Significativa em Revista, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 70-85, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Cleci-Rosa/publication/281637755_Metodo_tradicional_x_aprendizagem_significativa_investigacao_na_acao_dos_professores_de_Fisica/links/56531c6c08ae1ef92975c31a/Metodo-tradicional-x-aprendizagem-significativa-investigacao-na-acao-dos-professores-de-Fisica.pdf. Acesso em: 24 de set. 2021.

DEMO, P. Pobreza Política, polêmicas do nosso tempo. São Paulo: Editora Cortez. 1988.

FREIRE, P. Educação “bancária” e educação libertadora. In: PATTO, M. H. S. (org.) Introdução à psicologia escolar. 3. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997. p. 61-78.

LAHIRE, B. Sucesso escolar nos meios populares: As razões do improvável. São Paulo: Editora Ática, 1997.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

MORTATTI, M. R. L. Os sentidos da alfabetização: São Paulo – 1876/1994. São Paulo: Ed. UNESP, 2000.

OLIVEIRA, G. C. Psicomotricidade: um estudo em escolares com dificuldade em leitura e escrita. 1992. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

PERROTTI, E. Confinamento cultural, infância e leitura. Volume 38. São Paulo: Grupo

Editorial Summus, 1990.

SARAIVA, J. A. Literatura e alfabetização: do plano do choro ao plano da ação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2009.

SILVA, S. R.; RAMOS, A. M. Leitura do berço ao recreio: estratégias de promoção

da leitura com bebês. In: VIANA, F. L.; RIBEIRO, I.; BAPTISTA, A. (Coord.). Ler para

ser. Coimbra: Almedina, 2014. p. 149-174.

SPINDOLA, T.; SANTOS, R. D. S. Trabalhando com a história de vida: percalços de uma pesquisa (dora?). Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 119-126, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342003000200014. Acesso em: 24 de set. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Projeto Pedagógico do curso de Psicologia. Fortaleza, 2006.

VIANNA, M. J. B. As práticas socializadoras familiares como lócus de constituição de disposições facilitadoras de longevidade escolar em meios populares. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 90, p. 107-125, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/JSkvyDGwXQJRWvyJBWdqQxN/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 24 de set. 2021.

ZAGO, N. Fracasso e sucesso escolar no contexto das relações família e escola: Questionamentos e tendências em sociologia da educação. Revista Luso-Brasileira, v. 2, n. 3, p. 57-83, 2011. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/17155/17155.PDF.

Acesso em: 24 de jan. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.20892

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional