A utilização das tecnologias e ambiente virtual de aprendizagem na Educação de jovens e adultos

Rodrigo Chechi Marineli, Márcia Lopes Reis

Resumo


O presente artigo teve como tema central investigar o ensino e a utilização das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) na Educação de Jovens e Adultos (EJA) em uma escola pública. De acordo com os estudos realizados delimitou-se como objetivo deste artigo identificar o uso das TDIC e suas possibilidades de aprendizagem com os estudantes da EJA. Para tal, a pesquisa apresentou revisão de literatura sobre a educação, o perfil dos estudantes da modalidade EJA e as TDIC no contexto escolar. A metodologia foi fundamentada em uma abordagem qualitativa tendo como fio condutor a pesquisa de campo e pesquisa intervenção. A técnica de coleta de dados foi o uso de questionário com questões abertas. Conclui-se que há a necessidade da inclusão das TDIC na grade curricular da EJA, tendo como foco o letramento digital a fim de garantir aos estudantes uma formação transformadora, libertadora e crítica.


Palavras-chave


Educação de jovens e adultos; tecnologias digitais da informação e comunicação; ensino-aprendizagem; ambiente virtual de aprendizagem; Educação

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. E. B. Tecnologias e educação à distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 327-340, 2003. https://doi.org/10.1590/S1517-97022003000200010

BARROS, D. M. V. Guia didático sobre as tecnologias da comunicação e informação: material para o trabalho educativo na formação docente. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2009.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. Brasília: Inep, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

CORRADI, J. A. M.; NORTE, M. B.; VIDOTTI, S. A. B. G. Aspectos jurídicos e éticos da acessibilidade na internet. In. GUIMARÃES, J. A. C.; FERNÁNDEZ MOLINA, J. C. Aspectos jurídicos e éticos da informação digital. Marília/SP: Cultura Acadêmica, 2008. p. 57-79.

DAMIANI, M. F.; ROCHEFORT, R. S.; CASTRO, R. F.; DARIZ, M. R.; PINHEIRO, S. S. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, n. 45, p. 57 – 67, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/3822. Acesso em: 15 out. 2019.

FERRARI, A. Digital competence in practice: an analysis of Frameworks. Sevilla: JRCIPTS, 2012.

FERREIRA, W. B. EJA & Deficiência: estudo sobre a oferta a modalidade EJA para estudantes com deficiência. In. AGUIAR, M. A. (Org.). Educação de Jovens e Adultos: O que dizem as pesquisas? Ministério da Educação/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – SECAD: Universidade Federal de Pernambuco/Coordenação de Educação a Distância. 2009. Disponível em: https://www.academia.edu/15400096/eja_and_deficiência_estudo_da_oferta_da_modalidade_eja_para_estudantes_com_deficiência. Acesso em: 24 out. 2019.

FILÉ, V. Novas tecnologias, antigas estruturas de produção de desigualdades. In. FREIRE, W. et al. (Orgs.). Tecnologia e educação: as mídias na prática docente. 2. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

GUARDA, L. A utilização das TDIC no contexto escolar como ferramenta para o estudo da ciência geográfica. 2016. Monografia (Especialização em Educação na Cultura Digital) - Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/169003. Acesso em: 16 set. 2020.

HADDAD, S. Educação de pessoas jovens e adultas e a nova LDBEN. In. BRZEZINSKY, I. (Org.). LDBEN Interpretada: diversos olhares que se entrecruzam. São Paulo: Cortez, 1998.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 14, p. 108-130, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782000000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 nov. 2019.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus, 2003.

LEITE, L. Mídia e a perspectiva da tecnologia educacional no processo pedagógico contemporâneo. In. FREIRE, W. et al. (Orgs.). Tecnologia e educação: as mídias na prática docente. 2. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

LIGUORI, L. M. As novas tecnologias da informação e da comunicação no campo dos velhos problemas e desafios educacionais. In. LITWIN, E. (Org.). Tecnologia educacional: política, histórias e propostas. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1997. p. 78-97.

LIMA, G. P. Laboratório de Informática na Educação. Conhecimento em Destaque, v. 6, n. 16, p. 1-16, 2017. Disponível em: http://ead.soufabra.com.br/revista/index.php/cedfabra/article/view/33. Acesso em: 16 de nov. 2020.

MALLMANN, E. M.; SCHNEIDER, D. D. R.; TEIXEIRA, T. G.; SALES, J. V.; TOEBE, I. C. D. Fluência tecnológica dos tutores em ambientes virtuais. RENOTE-Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 10, n. 1, p. 1-10, 2012. https://doi.org/10.22456/1679-1916.30821

MORÁN, J. M. Como Utilizar a Internet na Educação. Ciência da Informação, v. 26, n. 2, p. 146-153, 1997. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/PxZcVBPnZNxv7FVcHfgMNBg/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 24 abr. 2021.

MORÁN, J. M. O vídeo na sala de aula. Comunicação e Educação. v. 2, p. 27-35, 1995. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i2p27-35

MOREIRA, A. F. B.; KRAMER, S. Contemporaneidade, educação e tecnologia. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 1037-1057, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a1928100.pdf. Acesso em: 25 out. 2019.

MOREIRA, J. A.; JANUÁRIO, S. Redes sociais e educação: reflexões acerca do Facebook enquanto espaço de aprendizagem. In: PORTO, C.; SANTOS, E. (Orgs.). Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar. Campina Grande: EDUEPB, 2014. p. 67-84. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 09 out. 2019.

NOLASCO-SILVA, L. “Os olhos tristes da fita rodando no gravador”: as tecnologias educacionais como artesanias docentes-discentes. 205p. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

OLIVEIRA, I. Princípios pedagógicos na educação de jovens e adultos. Revista da Alfabetização Solidária, v. 4, n. 4, p. 59-74, 2004.

PALFREY, J.; GASSER, U. Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração dos nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.

PEDROSO, S. G. Dificuldades encontradas no processo de educação de jovens e adultos. Anais do I Congresso Internacional da Cátedra Unesco de Educação de Jovens e Adultos, UFPB, 2010.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. On the Horizon, Bradford, v. 9, n. 5, p. 2-6, 2001. Disponível em: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

PRENSKY, M. Don’t Bother me, Mom, I’m Learning!: how computers and video games are preparing your kids for 21st century success and how you can help! St. Paul: Paragon House Publishers, 2006.

RAPKIEWICZ, C.; WEIHMANN, G.; PAZ, L.; PLÁ, J. B. Integrando tecnologias digitais na Educação de Jovens e Adultos: análise de publicações no Brasil. Anais do XXI Workshop de Informática na Escola (WIE 2015), CBIE-LACLO 2015. Disponível em: http://br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/5090/3495. Acesso em: 17 out. 2019.

REIS, M. L. Relações entre a prática da educação a distância e a estrutura organizacional das universidades: processos de inovação e a tradição. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 265-280, 2009. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/695. Acesso em: 24 abr. 2021.

RIBEIRO, R. M. C.; CARVALHO, C. M. C. N. O desenvolvimento da autonomia no processo de aprendizagem em Educação a Distância (EAD). Revista Aprendizagem em EaD, v.1, p. 1-10, 2012. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/raead/article/view/2979/2233. Acesso em 14 jun. 2020.

RIGO, N. M. Desdobramentos da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva em Políticas Locais. Revista Contexto & Educação, v. 31, n. 100, p. 187-213, 2016. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2016.100.187-213

ROCHA, T.; SILVA, J. O cálculo de perímetro e de área de figuras planas: dificuldades encontradas pelos alunos da EJA. Com a Palavra, o Professor, v. 5, n. 11, p. 71-86, 2020. https://doi.org/10.23864/cpp.v5i11.204

RODRIGUES, M. M. O uso de novas tecnologias em turmas de EJA. Anais do Congresso Nacional Universidade, EAD e Software Livre, 2010.

ROMANELLI, O. D. O. História da educação brasileira (1930/1973). 11. ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, R. B. L.; COUTO JUNIOR, D. R. Inclusão Digital na Educação de Jovens e Adultos (EJA): pensando a formação de pessoas da terceira idade. Revista Docência e Cibercultura, v. 4, n. 1, p. 24-40, 2020.

SOUZA, M. A.; FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade, currículo e tecnologia: um estudo sobre práticas pedagógicas no ensino fundamental. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, p. 708-721, 2017. https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n2.8303

SOUZA, R. Bem-Estar Percebido Sobre Funcionalidades e Design de Aparelhos Celulares. Revista Tecnologias em Projeção, v. 2, n. 2, p. 26-31, 2012. Disponível em: http://revista.faculdadeprojecao.edu.br/index.php/Projecao4/article/view/167/148. Acesso em: 14 abr. 2020.

SPINK, P. K. Pesquisa de campo em psicologia social: uma perspectiva pós construcionista. Psicol. Soc., Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 18-42, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010271822003000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 15 nov. 2019.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 15 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

VALENTE, J. A. (Org.). Formação de educadores para o uso da informática na escola. Campinas: UNICAMP, 2003.

VALENTE, J. A. Pensamento Computacional, Letramento Computacional ou Competência Digital? Novos desafios da educação. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 16, n. 43, p. 147-168, 2019. DOI: 10.5935/2238-1279.20190008

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem e Projeto Educativo. São Paulo: Libertad, 1995.

WILLIAMS, R. L. Preciso saber se estou indo bem: uma história sobre a importância de dar e receber feedback. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5585/41.2022.21460

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional