Relações de trabalho – Repercussões na aprendizagem e desenvolvimento profissional de professores de Matemática em fase introdutória de carreira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/48.2024.26230

Palavras-chave:

relações de trabalho; professores de matemática; iniciação profissional; desenvolvimento profissional; condições de trabalho

Resumo

O presente estudo, derivado de uma tese de doutorado em Educação, analisa as implicações das relações de trabalho no processo de introdução profissional de professores de Matemática. O objeto de pesquisa concentra-se na iniciação profissional desses professores, destacando as implicações das relações de trabalho no aprendizado e desenvolvimento profissional. A questão de pesquisa investiga como as condições de trabalho influenciam o desenvolvimento profissional. A fundamentação teórica envolve elementos relacionados às condições de trabalho docente e desenvolvimento profissional. A abordagem metodológica é qualitativa, com ênfase em entrevistas e análise de conteúdo. As categorias fundamentais incluem infraestrutura, gestão escolar e suporte entre pares. Conclui-se que a superação dos desafios demanda esforços coletivos, destacando a importância do apoio entre colegas experientes. Resultados indicam que melhorias nas condições de trabalho são essenciais para promover um ambiente educacional mais eficaz e facilitar o desenvolvimento dos professores.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Jeovane do Nascimento, Secretaria da Educação Básica do Ceará – SEDUC/CE

Doutor em Educação

 

Eliziane Rocha Castro, Secretaria Municipal de Educação de Raposa/MA – SEMED/Raposa/MA

Doutora em Educação

 

Elcimar Simão Martins, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB

Doutor em Educação

 

Referências

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2011.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

DAY, C. Desenvolvimento profissional de professores: Os desafios da aprendizagem permanente. Tradução de Maria Assunção Flores. Porto: Porto Editora, 2001.

FIORENTINI, D.; PASSOS, C. L. B.; LIMA, R. C. R. (Org.). Mapeamento da pesquisa acadêmica sobre o professor que ensina Matemática: Período 2001 – 2012. Campinas: FE/UNICAMP, 2016.

FORMOSINHO, J. Formação de professores: Aprendizagem profissional e acção docente. Porto: Porto Editora, 2009.

GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. Questões de método na construção da pesquisa em educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

HOBOLD, M. S. Desenvolvimento profissional dos professores: aspectos conceituais e práticos. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 13, n. 2, p. 425-442, mai./ago. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.13i2.0010. Acesso em: 10 mar. 2024.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional de professores. In: NÓVOA, A. (Org). Vida de professores. 2. ed. Porto: Porto editora, 2013. cap. 2, p. 31-61.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LIMA, M. S. L. Estágio e aprendizagem da profissão docente. Brasília: Liber Livro, 2012.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto editora, 1999.

MARCELO GARCIA, C. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/17. Acesso em: 10 mar. 2024.

NASCIMENTO, F. J.; ARAÚJO, R. R.; LIMA, M. S. L. Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio: ressignificando a formação continuada de professores. COCAR, Belém, v.11. n.21, p. 117-141, jan./jul. 2017. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/1285. Acesso em: 10 mar. 2024.

NASCIMENTO, F. J.; CASTRO, E. R.; LEITE, L. R.; LIMA, M. S. L. O diálogo como experiência constituinte na formação inicial do professor de Matemática. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 16, n.1, p. 1-14, mai. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.16.16556.052. Acesso em: 10 mar 2024.

NASCIMENTO, F. J.; LIMA, I. P.; CASTRO, E. R.; ARAÚJO, R. R. Condições de trabalho de professores iniciantes de Matemática: possibilidades e desafios no processo de desenvolvimento profissional. Horizontes, Itatiba, v. 37, n. 1, p. 1-28, mar. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.626. Acesso em: 10 mar. 2024.

NONO, M. A. Processos iniciantes: o papel da escola em sua formação. Porto Alegre: Mediação, 2011.

PAPI, S. O. G.; MARTINS, P. L. O. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 39-56, dez. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-46982010000300003. Acesso em: 10 mar. 2024.

ROMANOWSKI, J. P. Formação e profissionalização docente. 4. ed. Curitiba: Ipbex, 2010.

Downloads

Publicado

24.04.2024

Como Citar

NASCIMENTO, Francisco Jeovane do; CASTRO, Eliziane Rocha; MARTINS, Elcimar Simão. Relações de trabalho – Repercussões na aprendizagem e desenvolvimento profissional de professores de Matemática em fase introdutória de carreira. Dialogia, [S. l.], n. 48, p. e26230, 2024. DOI: 10.5585/48.2024.26230. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/26230. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê n. 48 “Desenvolvimento profissional de professores e gestores: contribuições para o campo de pesquisa e para a prática