Violência na escola: há possibilidade de contribuir e solucioná-la?

Carmen Lúcia Dias, Valéria Anésia Brumatti Jacon, Verônica Nogueira Vanni

Resumo


Este artigo traz uma reflexão sobre a temática da violência no interior das escolas sob a perspectiva cognitivo evolutiva. Objetivou-se neste constructo analisar as formas existentes da violência, sua presença, aumento, bem como suas formas de manifestação dentro dos muros das unidades escolares, para desta maneira compreender e refletir a respeito de maneiras que possam contribuir com as práticas escolares no intuito que estas beneficiem com eficiência a transformação e mudança para uma cultura da paz, consequentemente o estabelecimento de um ambiente mais harmonioso no contexto investigado. Compreendemos, assim, a necessidade de se promover a autonomia moral dos alunos, por meio de práticas pedagógicas voltadas à educação moral e ao resgate de valores éticos. Fundamental, que sejam trabalhados valores como o diálogo e o respeito mútuo na construção de um ambiente harmonioso, onde os alunos vejam esses recursos como o caminho para a resolução dos conflitos e para as relações democráticas.


Palavras-chave


Violência escolar; Práticas morais; Valores; Autonomia moral

Texto completo:

pdf

Referências


Referências

ABRAMOVAY, M. et al. Violência nas escolas. Brasília: UNESCO, Coordenação DST/ AIDS do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Ayrton Senna, UNAIDS, Banco Mundial, USAID, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002.

ABRAMOVAY, M. Ministério da Educação. Debate: Violência, mediação e convivência na escola. Brasília, Boletim 23, nov./2005, p.3-10.

ARAÚJO, U. Assembleia escolar: um caminho para a resolução de conflitos. São Paulo: Moderna, 2004.

ARAÚJO, U. A construção da cidadania e de relações democráticas no cotidiano escolar. [2010]. Disponível em: . Acesso em: 10 jul.2016.

ARAÚJO, U. Autogestão na sala de aula: as assembleias escolares. São Paulo: Summus, 2015.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, n.8, p. 432 – 443, jul/dez 2002.

DUNKER, Christian Ingo Lenz. ‘Algo se alterou na violência brasileira’, diz psicanalista. [Entrevista a Juliana Sayuri]. Nexo [S.l: s.n.], 2019.

ESCARDÍBUL, S.; NOVELLA, A. As assembleias no Ensino Fundamental. In: ARGÜÍS, R. et al. Tutoria: com a palavra, o aluno. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.

KOHLBERG, L. Psicologia del desarollo moral. Bilbao: Desclée de Brouwer, 1992.

LA TAILLE, Y. Indisciplina e o sentimento de vergonha. In: Indisciplina na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. 12. ed. São Paulo: Summus, 1996.

LA TAILLE, Y. de; MENIN, M. S. de S. Crise de valores ou valores em crise? São Paulo: Artmed, 2009.

LIND, G. La moral puede enseñarse. Manual teórico-prático de la formación moral y democrática. México: Trillas, 2007.

MENIN, M. S. de S. Valores na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 91-100, jun. 2002. Disponível em . Acesso em: 25 set. 2015.

MENIN, M. S. de S.; TREVISOL, M. T. C.; MARTINS, R. A. Educação em valores: em busca de projetos brasileiros em escolas públicas. In: CONGRESSO INTERNACIONAL. 2010, São Paulo – SP. Anais... São Paulo, 2010.

MENIN, M.S.de S.; BATAGLIA, P. U. R.; ZECHI, J.A. M. Projetos bem-sucedidos de educação em valores: relatos de escolas públicas brasileiras. São Paulo: Cortez, 2013. p. 21-26.

MORENO, C. I. Educar em valores. 3. ed. São Paulo: Editora Paulinas, 2005.

PIAGET, J. Os procedimentos da educação moral. In: PARRAT-DAYAN, S.;TRYPHON, A. (Orgs.) Jean Piaget sobre a pedagogia: textos inéditos. Tradução de Maria Suzana de Stefano Menin. São Paulo: Casa do Psicólogo, [1930] 1998.

PICANÇO, A. L. B. A relação entre escola e família- as suas implicações no processo de ensino- aprendizagem. Relatório de mestrado. Escola Superior de Educação João de Deus. Lisboa, maio de 2012. Disponível em: < http://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/2264/1/AnaPicanco.pdf>. Acesso em: 12 fev. 2016.

PUIG, J. M. Ética e valores: métodos para um ensino transversal. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1988.

PUIG, J. M. A construção da personalidade moral. São Paulo: Ática, 1998.

PUIG, J. M. As assembléias de sala de aula ou como fazer coisas com palavras. In: ARGÜIS, R. Tutoria: com a palavra, o aluno. São Paulo: Artmed, 2002. p. 27-34.

PUIG, J. M. et. al. Democracia e participação escolar. São Paulo: Moderna, 2002.

PUIG, J. M. Práticas morais: uma abordagem sociocultural da educação moral. São Paulo: Moderna, 2004.

REGO, T. C. R.A Indisciplina e o processo educativo: uma análise na perspectiva vygotskiana. In: AQUINO, J. G. (Org). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. 11. ed. São Paulo: Summus Editoria, 1996. p. 83-101.

TOGNETTA, L. R. P.; LA TAILLE, Y. de. A formação de personalidades éticas: representações de si e moral. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 24, n. 2, p. 181-188, jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2015.

TOGNETTA, L. R. P. Bullying na escola: o olhar da psicologia para um problema moral. In: GARCIA, J.; TOGNETTA, L. R. P.; VINHA, T. P. (Orgs.). Indisciplina, conflitos e bullying na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2013. v.2

TOGNETTA, L. R. P.; VINHA, T. P. Quando a escola é democrática: um olhar sobre a prática das regras e assembléias na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2007

VIDIGAL, S. M. P. Esses adolescentes de hoje ...podem ser motivados a participar ativamente da construção de usa personalidade ética?. In: TOGNETTA, L. R. P.; VICENTIN, V. F. Esses adolescentes de hoje... O desfio de educar moralmente para que a convivência na escola seja um valor. Americana: Adonis, 2014. p. 141- 170.

VINHA, T. P.; TOGNETTA, L. R. P. Construindo a autonomia moral na escola: os conflitos interpessoais e a aprendizagem dos valores. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 9, n. 28, p. 525-540, set./dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2015.

VINHA, T. P. et al. Projeto de pesquisa: em busca de caminhos que promovam a convivência respeitosa em sala de aula todos os dias. Campinas, São Paulo, UNICAMP (Faculdade de Educação), 2013.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N33.13602

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.