Qualidade regional revelada pelo Sistema de Acreditação de Cursos Universitários do Mercosul

Marianne Pereira de Souza, Giselle Cristina Martins Real

Resumo


O trabalho tem como objeto a concepção de qualidade revelada nos resultados do primeiro ciclo do Sistema de Acreditação de Cursos Universitários do Mercosul. A pesquisa documental realizada busca responder ao seguinte problema: o que os resultados do primeiro ciclo revelam sobre a qualidade dos cursos de graduação acreditados pelo Sistema regional? Em síntese, os resultados revelam que a qualidade regional se constitui a partir de parâmetros diversos, e, portanto, não é possível afirmar sobre a existência de um padrão único de qualidade para todos os cursos acreditados e que esteja acima da qualidade nacional dos países integrantes do Sistema. Pode-se inferir que a dimensão política e social da educação não é prioridade na implementação da acreditação regional, processo que teria como prerrogativa a garantia e a melhoria da qualidade. E, considerando o caráter competitivo da acreditação e do seu modelo de avaliação, alguns países acabam optando por cumprir formalmente os critérios estabelecidos no âmbito regional. Nesses casos, a avaliação passa a ser utilizada para reunir os elementos necessários para atingir os possíveis efeitos regulatórios do Sistema, ou seja, o reconhecimento automático de títulos nos países do Mercosul.


Palavras-chave


Arcu-Sul. Avaliação educacional. Regulação.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo Janela. Mudanças no Estado-avaliador: comparativismo internacional e teoria da modernização revisitada. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 53, p. 267-284, abr./jun. 2013.

AZEVEDO, Janete Maria Lins de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997.

BELLONI, Isaura et al. Avaliação institucional na Universidade de Brasília. In: BALZAN, Newton César; DIAS SOBRINHO, José (Orgs.). Avaliação institucional: teoria e experiências. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

CUNHA, Maria Isabel da. A qualidade e ensino de graduação e o complexo exercício de propor indicadores: é possível obter avanços? Avaliação, Campinas, v. 19, n. 2, p. 453-462, jul. 2014.

DEMO, Pedro. Avaliação qualitativa. Campinas: Autores Associados, 2015.

DEMO, Pedro. Educação e qualidade. Campinas: Papirus, 1994.

DIAS SOBRINHO, José. Avaliação: políticas educacionais e reformas da educação superior. São Paulo: Cortez, 2003.

DIAS SOBRINHO, José. Qualidade, avaliação: do Sinaes a índices. Avaliação, Campinas, v. 13, n. 3, p. 817-825, nov. 2008.

DOURADO, Luiz Fernandes; OLIVEIRA, João Ferreira de. A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cad. Cedes, Campinas vol. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br.

ENGUITA, Mariano Fernández. O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. In: GENTILI, Pablo; SILVA, Tomaz Tadeu da (Orgs.). Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 93-110.

GEIGER, Paulo (Org.). Caldas Aulete: dicionário escolar da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lexikon, 2012.

GRAMSCI, Antonio. Obras escolhidas. Lisboa: Estampa, 1974.

GRIBOSKI, Cláudia Maffini; FUNGHETTO, Suzana Schwerz. A internacionalização como indicador de qualidade do Sinaes e do Sistema ARCU-SUL. In: CUNHA, Célio da; SOUSA, José Vieira de; SILVA, Maria Abádia da (Orgs.). Internacionalização da educação: discursos, práticas e reflexos sobre as políticas educativas. 1. ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2016. p. 243-261.

KNIGHT, Jane. Comercialización de servicios de educación superior: implicaciones del AGCS. In: GUADILLA, Carmem Garcia (Ed.). El difícil equilibrio: la educación superior entre bien público y comercio de servicios. Implicaciones del AGCS (GATS). Paris: [s.n.], 2004. 107 p.

KRAWCZYK, Nora; SANDOVAL, Salvador Antonio Mireles. O processo de regionalização das universidades do Mercosul: um estudo exploratório de regulação supranacional e nacional. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 647-668, 2012.

LAMARRA, Norberto Fernández. La convergencia de la educación superior em América Latina y su articulación con los espacios europeo e ibero-americano: Posibilidades y límites. Avaliação, Campinas, v. 15, n. 2, p. 9-44, jul. 2010.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Acordo sobre a criação e implementação de um sistema de credenciamento de cursos de graduação para o reconhecimento regional da qualidade acadêmica dos respectivos diplomas no Mercosul e Estados Associados. San Miguel de Tucumán, Mercosul Educacional, 2008a. Disponível em: http://edu.mercosur.int/arcusur/index.php/pt-br/acordo-de-criacao. Acesso em: 10 set. 2014.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Acreditação Regional de Cursos Universitários MERCOSUL. Mercosul Educacional, 2016. Disponível em: http://edu.mercosur.int/arcusur/index.php/pt-br/. Acesso em: 25 maio 2016.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Agencia Nacional de Evaluación y Acreditación de la Educación Superior. Acuerdo de Acreditación nº 14/2011. Carrera de Medicina de la Universidad Nacional de Itapuá. Sistema ARCU-SUL, 2011a, 4 p. Disponível em: http://sistemaarcusul.mec.gov.br/arcusul/pages/pesquisaexterna/pesquisarCursoExterno.seam#tabelaCursos. Acesso em: 11 nov. 2015.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Comisión Nacional de Acreditación de Acreditación de Carreras Universitarias (CNACU). Resolución nº 009/2011. Carrera de Ingeniería Agronómica de la Universidad Autónoma Juan Misael Saracho de Tarija, Tarija. Sistema ARCU-SUL, 2011b. Disponível em: http://sistemaarcusul.mec.gov.br/arcusul/pages/pesquisaexterna/pesquisarCursoExterno.seam#tabelaCursos. Acesso em: 11 nov. 2015.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior. Acreditação nº 107898. Curso de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Sistema ARCU-SUL, 2014, 7 p. Disponível em: http://sistemaarcusul.mec.gov.br/arcusul/pages/pesquisaexterna/pesquisarCursoExterno.seam#tabelaCursos. Acesso em: 11 nov. 2015.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Sistema de Acreditação Regional de Cursos Universitários do Mercosul. Manual de Procedimentos do Sistema. [S.l.]: Sistema ARCU-SUL, 2008b, 10 p. Disponível em: http://edu.mercosur.int/arcusur/images/pdf/manual_procedimentos_pt.pdf. Acesso em: 12 abr. 2015.

MERCOSUL. Mercado Comum do Sul. Sistema de Acreditación Regional de Carreras Universitarias. Guía de Autoevaluación para carreras de Agronomía. [S.l.]: Sistema ARCU-SUR, 2008c. Disponível em: http://edu.mercosur.int/arcusur/images/pdf/guia/guia_auto_pt_%20agronomia.pdf. Acesso em: 06 nov. 2014.

NEAVE, Guy. O Estado-avaliador como política em transição: um estudo histórico e anatômico. In: COWEN, Robert; KAZAMIAS, Andreas M.; ULTERHALTER, Elaine (Orgs.). Educação comparada: panorama internacional e perspectivas. Brasília: Unesco, Capes, 2012. p. 675-696.

REAL, Giselle Cristina Martins. Avaliação e qualidade no Ensino Superior: os impactos do período 1995-2002. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 573-584, set./dez. 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade do século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SOUSA, José Vieira de. Qualidade na educação superior: lugar e sentido na relação público-privado. Cad. Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 242-256, maio/ago. 2009.

SOUZA, Mary Ane de. Concepções de qualidade na educação superior: interseção entre os instrumentos de avaliação do Mercosul e do Brasil. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2016.

VERHINE, Robert Evan; FREITAS, Antônio Alberto da Silva Monteiro. A avaliação da educação superior: modalidades e tendências no cenário internacional. Revista Ensino Superior Unicamp, v. 3, n. 7, p. 16-39, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n51.14548

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.