A educação das relações étnico-raciais no contexto da educação física: reflexões sobre a disciplinarização, o silenciamento e suas possibilidades

Keylla Amélia Dares Silveira, Wilson Alviano Júnior

Resumo


Este estudo tem como objetivo apresentar algumas reflexões acerca da temática da Educação das Relações Étnico-Raciais e seu elo com a Educação Física. Para tanto, utilizamos como ferramenta a pesquisa bibliográfica. A Educação Física, enquanto componente curricular da Educação Básica, esteve por muito tempo vinculada aos interesses de instituições médicas e militares que definiam seu espaço e campo de conhecimento. Nesse contexto, sua atuação tencionava a formação e a manutenção de corpos disciplinados, fortes e saudáveis, seguindo preceitos como os da eugenia, por exemplo. Nesse tipo de intervenção, as manifestações afro-brasileiras e indígenas eram invisibilizadas, marginalizadas e oprimidas, em detrimento à reprodução de modelos eurocêntricos de expressões corporais. Diante disso, argumentamos a favor de um currículo de Educação Física pautado nos conhecimentos oriundos de diferentes populações, sobretudo dessas que foram historicamente silenciadas e que protagonizam a estrutura nossa identidade.


Palavras-chave


educação das relações étnico-raciais; educação física

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Martha. O pós abolição e a luta antirracista no campo cultural. Curso de extensão “Emancipações e pós-abolição: por uma outra história do Brasil (1808-2020)”. Org.: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – PROExC, 09/09/2020;

ALBUQUERQUE, Wlamyra Ribeiro de. Racialização e cidadania negra. Curso de extensão “Emancipações e pós-abolição: por uma outra história do Brasil (1808-2020)”. Org.: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – PROExC,02/09/2020;

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Campinas: Cadernos Cedes, nº 48, 1999;

BRASIL. Lei nº 10.639. Presidência da República. Casa Civil - Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2003.Disponível em: ;

BRASIL. Lei nº 11.645. Presidência da República. Casa Civil - Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2008.Disponível em:. Acesso em: 11 Dez. de 2018;

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas, SP: Papirus, 14º ed., 2007;

LIMA, Mônica.Direito, reparação e a história africana e afro-brasileira no campo da história pública. Curso de extensão “Emancipações e pós-abolição: por uma outra história do Brasil (1808-2020)”. Org.: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – PROExC, 23/09/2020;

MATTOS, Hebe.Escravidão, racismo e os sentidos da cidadania no processo de independência. Curso de extensão “Emancipações e pós-abolição: por uma outra história do Brasil (1808-2020)”. Org.: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – PROExC, 05/08/2020;

MEIRA, Flávia Paola Félix. A Educação das Relações Étnico-Raciais no currículo de um curso de Pedagogia: percursos, contribuições e desafios. Dissertação de Mestrado – Faculdade de Educação, Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018;

MOREIRA, Anália de Jesus; SILVA, Maria Cecília de Paula. A Lei nº 10.639/2003 e o ensino de Educação Física: confrontos históricos. In: CORSINO, Luciano Nascimento; CONCEIÇÃO, Willian Lazaretti da. Educação Física escolar e Relações Étnico-Raciais: subsídios para a implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08. Curitiba: CRV, 2016;

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999;

MUNANGA, Kabengele. Por que ensinar a história da África e do negro no Brasil de hoje? Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, nº 62, p. 20-31, dez 2015;

NEIRA, Marcos Garcia. Teorias pós-críticas da educação: subsídios para o debate curricular da Educação Física. Dialogia, São Paulo, SP: nº 14, p. 195-206, 2011;

NEIRA, Marcos Garcia. O currículo cultural da Educação Física: pressupostos, princípios e orientações didáticas. Revista e-Curriculum, São Paulo, SP: vol. 16, nº 1, p. 4-28, 2018;

OLIVEIRA, Julvan Moreira de. Africanidades e Educação: Ancestralidade, Identidade e Oralidade no Pensamento de Kabengele Munanga. Tese de Doutorado – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009;

OLIVEIRA, Julvan Moreira de. Políticas Públicas e Ensino de História da África e Cultura Afro-brasileira. In: THOMAZ, Fernanda do Nascimento (Org.). Afrikas: histórias, culturas e educação. Juiz de Fora, Ed. UFJF, 2019;

PINTO, Ana Flávia Magalhães.Liberdade negra e abolicionismos.Curso de extensão “Emancipações e pós-abolição: por uma outra história do Brasil (1808-2020)”. Org.: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – PROExC,26/08/2020;

SILVA, Leandro de Souza. Educação das Relações Étnico-Raciais nos cursos de licenciatura em Educação Física no Mato Grosso do Sul. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2019;

SOARES, Carmen Lúcia. Educação Física: raízes européias e Brasil. 4º edição. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.esso em: 01 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20452

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional