O curso pedagogia da terra e a formação de educadores do MST: abordagens das produções científicas

Marle Aparecida Fideles de Oliveira Vieira, Valdete Côco

Resumo


A partir de pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa, focalizamos neste estudo os processos formativos articulados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), por meio das experiências dos cursos Magistério e Pedagogia da Terra. Com os descritores “Curso de Pedagogia da Terra”, “Magistério”, “Formação”, “Educação Infantil”, “Educação Infantil do Campo” e “Assentamentos”, acrescidos de “MST”, dialoga-se com 48 estudos selecionados na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTS), no Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), no portal da Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REBID) e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Ufes (PPGE). Com referencial bakhtiniano, destacam-se categorias de análise em relação aos sujeitos que pesquisam, contextos de produção e abordagem, escopos dos estudos e processos formativos. Reafirmamos, então, o direito à formação, à educação infantil do campo, e o protagonismo do MST diante dos ataques à ciência e à educação pública.


Palavras-chave


pesquisa bibliográfica; curso pedagogia da terra; formação; educação infantil do campo; MST

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, D. M. Pedagogia da Terra: olhar dos/as educandos/as em relação à primeira turma do estado de São Paulo. 2010. 238 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

BAKHTIN, M. M. Estética da Criação Verbal. 2. Ed. São Paulo: WMF/Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, M. M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2014.

BARBOSA, L. P.; SALES, M. S. A infância sem terra em movimento na luta por escola, terra e dignidade. Temáticas, v. 26, n. 51, p. 119–148, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v8i25.3784. Acesso em: 10 jun. 2021.

BIHAIN, N. M. A trajetória da educação infantil no MST: de ciranda em ciranda aprendendo a cirandar. 2001. 104 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

CARA, D.; PELLANDA, A. Avanços e retrocessos na Educação Básica: da Constituição de 1988 à Emenda Constitucional 95. In: ROSSI, P.; DWECK, E.; OLIVEIRA, A. L. M. (orgs.). Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

CASAGRANDE, N. A Pedagogia socialista e a formação do educador do campo no século XXI: as contribuições da Pedagogia da Terra. 2007. 293 f. Tese (Doutorado) –Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

CASAGRANDE, N. A questão agrária e a formação do educador do campo no século XXI: contribuições da Pedagogia da Terra. Diálogo Educacional, v. 8, n. 25, p. 765-785, 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v8i25.3784. Acesso em: 10 jun. 2021.

CÊA, G. S. dos S.; [et al.]. A atuação do Pedagogo no MST: revelações de um estudo exploratório. Eccos, v. 11, n. 1, p. 175-191, 2009. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/1545. Acesso em: 10 jun. 2021.

CÔCO, V.; [et al.]. O Plano Nacional de Educação: desafios no campo da educação infantil. Eccos Revista Científica, v. 37, p. 77-92, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.5585/eccos.n37.5553. Acesso em: 15 set. 2021.

CÔCO, V.; [et al.]. Percursos da Formação Inicial em Pedagogia na legislação brasileira: desafios para a docência na Educação Infantil. Revista Colombiana de Educación, v. 1, n.º 83, p. 1-17, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.17227/rce.num83-10811. Acesso em: 23 set. 2021.

CONDE, S. F.; COSTA, M. J. Contribuições da pedagogia socialista para a educação da infância no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Perspectiva, v. 37, n. 4, p. 887-903, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e54987. Acesso em: 10 jun. 2021.

COSTA, A. C. M. Educação no MST e a experiência do curso de magistério. Quaestio – Revista de Estudos em Educação, v. 1, n. 2, p. 63-74, 1999. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/1480. Acesso em: 10 jun. 2021.

COSTA, G. F. A Formação do professor em diferentes espaços socializadores: um olhar sobre os alunos do curso Pedagogia da Terra da UFRN. 2006. 128 f. Dissertação (Mestrado) –Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.

COSTA, M. O. Programa nacional de educação na Reforma Agrária: o caso do curso “Pedagogia da Terra” da Universidade do Estado de Mato Grosso, Cáceres/MT. 2005. 189 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Natal, 2005.

COSTA, M. O. Parceria interinstitucional entre universidade e movimento social do campo para a formação de professores. Perspectiva, v. 33, n. 2, p. 641-664, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2015v33n2p641. Acesso em: 10 jun. 2021.

COUTINHO, A. S.; CÔCO, V. Educação Infantil, políticas governamentais e mobilizações em tempos de pandemia. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, p. 1-15, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.15.16266.088. Acesso em: 22 set. 2021.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Editora Boitempo, 2016.

DWECK, E.; SILVEIRA, F. G.; ROSSI, P. Austeridade e desigualdade social no Brasil. In: ROSSI, P.; DWECK, E.; OLIVEIRA, A. L. (orgs.). Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

FERNANDES, F. A. Um estudo de caso do curso de Pedagogia da Terra da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 2009. 131 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

FERNANDES, F. Universidade brasileira: reforma ou revolução? São Paulo: Expressão Popular, 2020.

FRANÇA, D. M. Vivências da pedagogia do movimento em escolas de assentamentos MST/ES. 2013. 270 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

FREIRE, P. Comunicação ou extensão? 16. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Editado por Paz e Terra e licenciado gratuitamente para Anca/MST, 2004.

FREITAS, F. A. Educação infantil popular: possibilidades a partir da Ciranda Infantil do MST. 2015. 228 f. Dissertação (Mestrado) –Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

GHELLERE, F. C. Educação infantil do campo e as políticas internacionais: novas lutas, tendências e contradições. 2014. 176 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.

GUIMARÃES, V. O. S.; DUARTE, A. J. O curso Pedagogia da Terra como estratégia formativa e de enfrentamento à exclusão dos jovens do campo. Cadernos Cimeac, v. 8, n. 2, p. 103-119, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.18554/cimeac.v8i2.2829. Acesso em: 2 jun. 2021.

INEP. Panorama da Educação: destaques do Educationat a Glance. 2021. Disponível em: https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/panorama_da_educacao_destaques_do_education_at_glance_2021.pdf. Acesso em: 22 set. 2021.

JESUS, J. G. Sentidos da formação docente para a profissionalização na voz do Professor do Campo. 2014. 365 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

LOVATTI, R. R. G. Formação e docência na educação infantil do campo: dizeres docentes. 2014. 195 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

LUEDKE, A. M. S. A formação da criança e a ciranda infantil do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). 2013. 182 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

MAGALHÃES, Á. C. Terra, escola e inclusão: a novidade na marcha do MST. 2010. 163 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

MARTINS, F. J. Pedagogía de la Tierra: los sujetos del campo y la Enseñanza Superior. NuestrAmérica, v. 1, n. 2, p. 67-85, 2013. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=551956258008. Acesso em: 10 jun. 2021.

MEDEIROS, E. A.; FERREIRA, H. P. de A.; AGUIAR, A. L. O. Formação inicial de professores da educação do campo: a história do curso de pedagogia da terra da UERN. Revista Internacional de Formação de Professores, v. 2, n. 2, p. 325-341, 2018. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/issue/view/54. Acesso em: 10 jun. 2021.

MÉLIGA, L. L. Educação infantil do campo: a educação das crianças pequenas nas proposições do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. 2014. 91 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

MOLINA, M. C.; SANTOS, C. A.; BRITO, M. M. B. O Pronera e a produção do conhecimento na formação de educadores e nas ciências agrárias: teoria e prática no enfrentamento ao bolsonarismo. Revista eletrônica de educação, v. 14, p. 1-25, 2020. Disponível em: https://dx.doi.org/10.14244/198271994539. Acesso em: 10 jun. 2020.

NOGUEIRA SOBRINHA, D. E. Vida, formação e educação: o curso de Pedagogia da Terra da Faculdade de Educação da UFG. 2010. 160 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.

OLIVEIRA, C. M. O MST e a luta ao direito da educação infantil do e no campo: considerações sobre a desigualdade entre campo e cidade a partir da década de 1990. Eventos Pedagógicos, v. 6, n. 4, p. 342-365, 2015. Disponível em: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/eventos/article/view/1991%3B. Acesso em: 10 jun. 2021.

OLIVEIRA, E. C. Os processos de formação na educação de jovens e adultos: a “panha” dos girassóis na experiência do Pronera MST/ES. 2005. 169 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2005.

PEREIRA, M. C.; LUSTOSA, F. H. C. Reflexões sobre a Pedagogia Paulo Freire com os alunos de Pedagogia da Terra. Revista Brasileira de Educação do Campo, v. 1, n. 2, p. 299-317, 2016. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/2226/9301. Acesso em: 10 jun. 2021.

PEZZIN, J. Professores (as) Sem Terra: um estudo sobre práticas educativas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. 2007. 162 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2007.

PIZETTA, A. J. A formação de educadores e a travessia de cercas invisíveis de acesso/produção de conhecimentos: experiências do MST nas inter-relações com universidades brasileiras. 2014. 260 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

PIZETTA, A. J. Formação e práxis dos professores de escolas de assentamentos: a experiência do MST no Espírito Santo. 1999. 285 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 1999.

RAMOS, M.; AQUINO, L. L. Infância sem terra e mobilizações infantis no Brasil. Praxis & Saber, v. 10, n. 23, p. 157-176, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.19053/22160159.v10.n23.2019.9728. Acesso em: 10 jun. 2021.

REZENDE, J. R. Os sentidos da formação em Pedagogia da Terra: o caso das militantes do MST no estado de São Paulo. 2010. 117 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

REZENDE, J. R.; NETO, L. B. Trajetórias das pedagogas da terra do MST no estado de São Paulo: intencionalidades e atuações possíveis a partir desta formação. Revista de Ciências da Educação – Unisal, n. 23, ano XXI, p. 39-61. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.19091/reced.v0i23.59. Acesso em: 10 jun. 2021.

ROSSETTO, E. R. A. Essa ciranda não é minha só, ela é de todos nós: a educação das crianças sem terrinha no MST. 2009. 232 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

ROSSI, P.; DWECK, E.; OLIVEIRA, A. L. (orgs.). Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

SÁNCHEZ, D. S. Resistência e formação na produção do comum: o curso de Pedagogia da Terra da UFES. 2011. 150 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.

SANTOS, A. P. S. Significações do currículo da educação infantil do/no campo para a comunidade escolar de um assentamento de reforma agrária na região norte de Mato Grosso. 2016. 213 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Estado de Mato Grosso, Cárceres, 2016.

SANTOS, B. S.; CHAUÍ, M. Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2014. [livro eletrônico]. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4604349/mod_resource/content/1/Direitos_Humanos_Democracia_e_Desenvolvi-1.pdf. Acesso em: 21 set. 2021.

SANTOS, F. S. Formação de educadores militantes no MST: a experiência do Curso Pedagogia da Terra na Unioeste/PR. 2009. 145 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

SILVA, A. P. S. [et al.]. Produção acadêmica nacional sobre a educação das crianças residentes em área rural (1996-2011). In: BARBOSA, Maria Carmen Silveira [et al.] (org.). Oferta e demanda de educação infantil no campo. Porto Alegre: Evangraf, 2012. p. 291-331.

SILVA, D. L. S. Salas extensivas de educação infantil do campo: uma experiência no município de Pancas – ES. 2013. 188 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

SILVA, F. D. S. Pedagogia da Terra: um encontro de saberes, vivências e práticas educativas. 2009. 165 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

SILVA, J. A. A. Jovens assentados, jovens estudantes, jovens professores: juventude em assentamentos rurais do RN. 2011. 117 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

SILVA, P. Pedagogia da Terra na Ufscar: uma análise acerca da proposta metodológica e das práticas educativas da turma Helenira Resende. 2013. 148 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

STAM, R. Bakhtin: da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Ática, 1993.

TITTON, M. Organização do trabalho pedagógico na formação de professores do MST: realidade e possibilidades. 2006. 154 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

TORRES, L. de M. A contra-hegemonia na formação de educadores do campo: uma análise sobre o curso de Pedagogia da Terra.2012. 154 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2012.

VIEIRA, M. A. F. O. Educação infantil do campo e formação continuada dos educadores que atuam em assentamentos. 2016. 210 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016.

VIEIRA, M. A. F. O.; CÔCO, V. Da educação rural à educação do campo: percursos históricos da educação infantil a partir das produções acadêmicas e da legislação brasileira. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; CHAVES, Vera Lucia Jacob (org.). Documentação, memória e história da educação no Brasil: diálogos sobre políticas de educação e diversidade. Tubarão/SC: Copiart, 2016. v. 1. p. 83-105.

VIEIRA, M. A. F. O.; CÔCO, V. Educação infantil do campo e formação de professores. Cadernos cedes, v. 37, p. 319-334, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/CC0101-32622017176084. Acesso em: 22 set. 2021.

VIEIRA, M. A. F. O.; CÔCO, V. O pensamento de Paulo Freire no contexto da formação de educadores do MST. Educação em Perspectiva, v. 9, n. 1, p. 159-173, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i1.935. Acesso em 23 set. 2021.

VIEIRA, M. A. F. O.; CÔCO, V. Educação infantil do campo: reflexões sobre o atendimento em contextos de assentamentos. Perspectiva, v. 37, n. 4, p. 805-819, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e54697. Acesso em: 10 jun. 2021.

VIEIRA, M. N. A.; CÔCO, V.; VENTORIM, S. Pesquisa em educação: desafios teórico-metodológicos e contribuições da perspectiva Bakhtiniana. Reflexão e Ação, v. 25, p. 10, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v25i3.9707. Acesso em: 15 set. 2021.

VOLOSHINOV, V. N.; BAKHTIN, M. M. Discurso na vida e discurso na arte (sobre a poética sociológica). Disponível em: https://pt.scribd.com/document/96529004/M-Bakhtin-Discurso-Na-Vida-Discurso-Na-Arte. Acesso em: 15 jul. 2021.

WESCHENFELDER, N. V. Vozes do campo: memórias da infância e da escola nos espaços de formação no curso de pedagogia do Campo/Paraná. Práxis Educacional, v. 6, n. 2, p. 89-106, 2010. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/619. Acesso em: 10 jun. 2021.

WOLFF, E. Á. Fundamentos psicossociais da formação de educadores do campo. 2007. 230 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

ZEN, E. T. Pedagogia da Terra: a formação do professor sem-terra. 2006. 183 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5585/39.2021.20625

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional