Uso do Peer Instruction por residentes em Química no ensino de radioatividade na Educação Básica

percepção dos estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/48.2024.26259

Palavras-chave:

ensino médio; ensino de química; metodologia ativa; radioatividade

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar a percepção dos estudantes do Ensino Médio sobre a aprendizagem do conteúdo radioatividade, ministrado por residentes em Química, por meio da metodologia ativa Peer Instruction. A pesquisa, de caráter qualitativo, foi planejada e aplicada seguindo os pressupostos deste método. Os dados coletados, provenientes de um questionário aplicado aos estudantes, foram analisados de acordo com Bardin (2016). A partir do estudo realizado, notou-se maior interesse e motivação dos estudantes sobre o conteúdo radioatividade e comprovou-se que a metodologia Peer Instruction auxiliou na compreensão de conceitos sobre a temática.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Algayer da Silva Moretti, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Doutora em Educação para a Ciência

 

 

Márcia Camilo Figueiredo, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR

Doutora em Educação para a Ciência 

 

Alessandra Dutra, Universidade Tecnológica Federal do Paraná- UTFPR

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa

 

Referências

ARAUJO, I. S.; MAZUR, E. Instrução pelos colegas e ensino sob medida: uma proposta para o engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem de física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 30, n. 2. p. 362-384, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2013v30n2p362. Acesso em: 17 abr. 2024.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 17 abr. 2024.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução nº 2, de 1º julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 15 dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=78631-pcp015-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 14 dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNCFormação). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 15 dez. 2023.

COELHO, M. N. Uma comparação entre team-based learning e peer-instruction e avaliação do potencial motivacional de métodos ativos em turmas de física do ensino médio. Experiencias em Ensino de Ciências. v. 13, n. 4. 2018. Disponível em: https://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID499/v13_n4_a2018.pdf. Acesso em: 20 dez. 2023.

COELHO, M. N. et al. Avaliação do potencial motivacional de metodologias ativas em turmas do ensino médio. Anais III CONAPESC... Campina Grande: Realize Editora, 2018. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/artigo/visualizar/42976. Acesso em: 18 dez. 2023.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Edital CAPES nº 06/2018. Programa de Residência Pedagógica. Chamada Pública para apresentação de propostas no âmbito do Programa de Residência Pedagógica. Brasília, 1º mar. 2018. Disponível em: https://cfp.ufcg.edu.br/portal/images/conteudo/PROGRAMA_RESIDENCIA_PEDAGOGICA/DOCUMENTOS_E_PUBLICACOES/01032018-Edital-6-2018-Residencia-pedagogica.pdf. Acesso em: 09 dez. 2023.

DIAS, M. M. Metodologias Ativas – Parte 1. Blog Tecnologia e Educação Unifenas. 2016. Disponível em: http://ned.unifenas.br/blogtecnologiaeducacao/educacao/metodologias-ativas-parte-1. Acesso em: 01 dez. 2023.

DUTRA, A. et al. Uso do peer instruction na aprendizagem de conteúdos de química: contribuições preliminares. Ciência em tela. v. 12, n. 2. p. 1-10, 2019. Disponível em: http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/1202pe2.pdf. Acesso em: 10 de dez. 2023.

LOVATO, F. L. et al. Metodologias ativas de aprendizagem: uma breve revisão. Acta Scientiare, v. 20, n.2, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.17648/acta.scientiae.v20iss2id3690. Acesso em: 17 abr. 2024.

MAZUR, E. Peer Instruction: A User’s Manual. New Jersey. Prentice Hall. 1997. 274 p.

MESSAGE, C. P. et al. Peer Instruction: metodologia ativa de ensino e aprendizagem e suas ferramentas de interatividade gratuitas. Colloquium Humanarum. v. 14, n. Especial. 2017. p. 644-650. Disponível em: https://www.unoeste.br/site/enepe/2017/suplementos/area/Humanarum/4%20-%20Educa%C3%A7%C3%A3o/PEER%20INSTRUCTION%20METODOLOGIA%20ATIVA%20DE%20ENSINO%20E%20APRENDIZAGEM%20E%20SUAS%20FERRAMENTAS%20DE%20INTERATIVIDADE%20GRATUITAS.pdf. Acesso em: 10 dez. 2023.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015. Disponível em: https://moran.eca.usp.br/?p=543. Acesso em: 05 fev. 2024.

PAIVA, M. R. F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE, v. 15, n. 2, p. 145–153, 2016. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049. Acesso em: 5 fev. 2024.

SCHNEIDER, E. I.; SUHR, I. R. F.; ROLON, V. E. K.; ALMEIDA, C. M. de. Sala de Aula Invertida em EAD: uma proposta de Blended Learning. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 8, n. 16, p. 68–81, 2013. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/499. Acesso em: 17 abr. 2024.

SILVEIRA, D. T; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. p. 31- 42. In: GERHARDT, T. E; SILVEIRA, T. E. (Org). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

WETTERICH, C. B.; COSTA, L. S. O uso de metodologias ativas no ensino remoto emergencial: uma proposta de gamificação na Educação Profissional e Tecnológica. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus (AM), v. 8, e197922, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.31417/educitec.v8.1979. Acesso em: 17 abr. 2024.

Downloads

Publicado

29.04.2024

Como Citar

MORETTI, Andressa Algayer da Silva; CAMILO FIGUEIREDO, Márcia; DUTRA, Alessandra. Uso do Peer Instruction por residentes em Química no ensino de radioatividade na Educação Básica: percepção dos estudantes . Dialogia, [S. l.], n. 48, p. e26259, 2024. DOI: 10.5585/48.2024.26259. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/dialogia/article/view/26259. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê n. 48 “Desenvolvimento profissional de professores e gestores: contribuições para o campo de pesquisa e para a prática